Ascânio Seleme: Fogueira das vaidades atrasa a previdência | Fábio Campana

Ascânio Seleme: Fogueira das vaidades atrasa a previdência

Ascânio Seleme, O Globo

O ministro Paulo Guedes tem razão. Falta um relator da Reforma da Previdência para dialogar. Não faz sentido algum a teimosia do presidente da CCJ, deputado Felipe Francischini (PSL-SP), em não nomear logo um deputado para ocupar a função. A única explicação é a vaidade. O deputado não quer dividir os holofotes com outro parlamentar. Ou perder o foco para quem nomear, porque relator é mais importante que o presidente quando uma matéria desse tamanho está na pauta.

Ao relutar na nomeação do relator, o deputado vai acumulando desculpas esfarrapadas. Primeiro, queria ouvir o governo, depois disse que só indicaria um nome após governo enviar para o Congresso a reforma da Previdência dos militares. Agora, decide que a nomeação não será feita até que o cenário político esteja mais favorável para a aprovação do projeto. E então, francamente, indicou a si próprio como juiz dos humores do Congresso. O erro é grosseiro, porque tecnicamente um relator ajudaria nas negociações.

O fato é que o deputado parece ser um pavão vaidoso que quer ficar sozinho debaixo das luzes esticando sua exposição por tanto tempo quanto puder. Sabe que sua imagem vai ser sufocada com a presença do relator, e aí vai adiando a nomeação e impedindo a plena discussão da reforma. Não há dúvida, agindo assim Francischini atrapalha mais do que ajuda a reforma.


17 comentários

  1. Roberto
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 9:02 hs

    Esperar o que de um deitado que virá a noite jogando poder e fumando . Só isso mesmo . É muita inesperiencia

  2. Observador
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 9:12 hs

    Filho de peixe….
    O opulento parlamentar demonstra que herdou alguns defeitos do pai, a vaidade, soberba, entre outras. Todos se perguntam como um deputado inexperiente e no primeiro mandato assume tão importante cargo? São sinais de que o governo Bolsonaro é algo sem pé nem cabeça.

  3. Paulão
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 9:12 hs

    Infelizmente o deputado é um fedelho -termo utilizado pelos nordestinos para nominar crianças, e as vaidades tem que cessar pois o Brasil é maior.
    É bom o deputado pensar na sua posteridade política, caso contrario, ainda jovem o eleitor poderá jogá-lo no ostracismo, e encerrar sua carreira de uma vez por todas.

  4. PEDROCA DO SUDOESTE
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 9:25 hs

    Já dizia o saudoso ULYSSES GUIMARÃES, se temos um Congresso mais ou menos ruim, espere o próximo, é o que estamos vendo. UMA Cãmarados Deputados mais ou menos assim. Tem uns deputados novos, que parece que estão em campanha ainda. O Brasil,o setor produtivo, não aguenta mais certas coisas,e em Brasília muitos brincando , com umas idéias de jiricos.

  5. Paulao da Regulagem
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 9:33 hs

    Tinha que nomear um relator mais experiente…não um juvenil….

  6. Nello Morlotti
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 10:02 hs

    Deputado Felipe tem capacidade enorme de gerenciar a tarefa, teve papel destacado na CCJ da Alep e esta conduzindo muito bem a gigante missão…um pouco de calma nesta hora e sempre bem vinda !

  7. xiru de palmas
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 10:05 hs

    Mas que barbaridade tche!!!!
    Eu iria fazer um comentário jocoso, mas o assunto é muito sério.
    Bem oportuna a matéria do Ascânio (filho do seu Seleme Isac Seleme).
    Pelo meu ponto de vista é uma irresponsabilidade total deixar a presidência da comissão mais importante do país nas mãos de um jovem deputado.
    No seu primeiro mandato como deputado estadual do Paraná pouco demonstrou de conhecimento político, e com certeza nada angariou em conhecimento.
    No seu segundo mandato, agora federal (com uma votação magnífica), o jovem é alçado a este cargo.
    Com certeza é a influência de seu pai, aliado de primeira hora de Bolsonaro.
    A câmara fez uma escolha temerária.
    A reforma da previdência, que é fato crucial para o governo e para o país, está entregue nas mãos de uma pessoa ainda sem a carga política suficiente para gerir a questão.
    Faz-me lembrar a eleição de um certo presidente da câmara.

  8. quinta-feira, 28 de março de 2019 – 10:36 hs

    Bah,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

  9. Luiz
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 10:49 hs

    Isso é o q da coloca um babaquinha deste q ainda nem tirou as fraldas para presidir a comissão mais importanteda casa. Isso demonstra q o Congresso bem como seu Presidente estao cagando para o pibo e oara o Presidente do Brasil.

  10. QUESTIONADOR
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 11:06 hs

    -Este “nobre” deputado é como se diz em Curitiba: “É um pía de prédio”
    -Seu desempenho no mandato como deputado estadual foi pífio….quase nulo!
    -Agora como federal, também está sendo pífio. Gosta apenas de confetes em sí mesmo e da visibilidade que o cargo lhe proporciona!!!
    -Até hoje não sei como conseguiu votos para se eleger como estadual e muito menos como federal???

  11. Sandrinha
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 11:52 hs

    As piores coisas que visualizo na política é esse povo levar um assunto tão sério para o pessoal e externar só “Merda” Lamentável matéria onde induz a mentira dos fatos… Estou acompanhando e concordo com o Deputado que deve ser ouvido como Presidente sim: independente de Relator ou nomeação do mesmo,tudo está sendo cuidado com muito estudo e não há vaidade nesse contexto e sim seriedade nessa tomada de decisão tão importante para a Nação… Previdência tem que ter seriedade…!!!

  12. quinta-feira, 28 de março de 2019 – 12:34 hs

    Tanto Ele como seu Pai só querem mídia…apresentem algo de bom que já fizeram pro Brasil/Estado? Esta onda Bolsonaro piorou o parlamento Nacional e Estadual, entrou cada tipo de Deputado…mas são só por um mandado, nunca mais se elegem…eita eleitores tolo os que elegeram este pessoal…Francisquini o que mandou surrar professores está de olho na Prefeitura, abre o olho povo curitibano…e o jovem baleiazinha é um pelego do Pai….

  13. Sarinha ou Safadinha
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 12:47 hs

    GANHOU A ELEIÇÃO CHUTANDO CACHORRO MORTO !! COMPETÊNCIA ZERO !!

    QUER APARECER, PARA SE PERPETUAR NO PODER ! E O PARANAENSE VOTA NESSES TIPOS !!

    ACORDA PARANÁ !!!

  14. luis
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 12:52 hs

    O presidente da CCJ, não está fazendo o projeto andar porque o pai dele é delegado da PF e vai ser prejudicado. Então ele está esperando o governo sinalizar que vai colocar toda a segurança pública junto com os militares na mamata. Simples…

  15. Pablo
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 16:06 hs

    Foi eleito deputado federal.. além da biografia do pai.. pelo apoio ao então candidato Bolsonaro. Fez questão de divulgar imagens com ele próximo ao presidente em recuperação pós facada.. e agora adota esse tipo de conduta.. vergonhosa falta de lealdade

  16. bs
    quinta-feira, 28 de março de 2019 – 22:52 hs

    Esperar o que de um pia de prédio.
    O povo ta f…..

  17. johan
    sexta-feira, 29 de março de 2019 – 0:11 hs

    Caro Fábio, essa matéria é clara como diziam os antigos, ” calma e caldo de galinha não faz mal a ninguém”. O presidente da CCJ deve ter muita calma e juízo nessa hora. Não há necessidade de atropelos. Não indicar relator é prudente. O clima está quente, os esquerdopatas pressionam e aguardam um erro do presidente da CCJ. Os parlamentares desejam articulação política, daquela que o FHC, LULLA, Dilma e Temer fizeram, e gastaram as economias da nação. O correto é um dia após o outro, com noite de sono no meio. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*