Ex-motorista da Rodonorte diz ter levado malas de dinheiro ao Palácio Iguaçu | Fábio Campana

Ex-motorista da Rodonorte diz ter levado malas de dinheiro ao Palácio Iguaçu

Um ex-motorista que trabalhava na presidência da concessionária de pedágio Rodonorte disse aos procuradores do Ministério Público Federal que entregou malas de dinheiro no Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado, durante a gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB). Segundo a investigação, além dos montantes levados ao Palácio Iguaçu, ele também relatou entregas no Tribunal de Contas do Estado (TCE/PR) e na associação das empresas concessionárias, que era usada para repassar propina aos políticos. As informações são do jornal Folha de S. Paulo e do Bem Paraná.

Richa foi um dos alvos da investigação das operações Integração I e II da Lava Jato, e chegou a ser preso preventivamente. Ele, que nega participação em desvios, é réu sob acusação de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, apontado como um dos beneficiados pelo esquema.

O detalhes sobre o esquema fazem parte do acordo de leniência celebrado pela Rodonorte com o Ministério Público Federal, no qual a concessionária se comprometeu a reduzir o valor das tarifas em 30% nas praças que mantém no Estado. Após a homologação, a empresa terá 30 dias para implantar a redução da tarifa de pedágio, que deve se estender por pelo menos um ano, até somar R$ 350 milhões em abatimentos.

A concessionária ainda se comprometeu a realizar as obras previstas no contrato inicial com o governo estadual, mas que não foram executadas em função de aditivos contratuais. O valor dos investimentos deve alcançar R$ 365 milhões.

Propinas – No acordo, a concessionária admite o pagamento de propinas milionárias a integrantes do governo do Estado – que é alvo da Operação Lava Jato. Segundo as investigações, empresas que administravam o pedágio pagavam percentuais de propina a agentes públicos e políticos há cerca de 20 anos, em troca da supressão de obras previstas em contrato e de reajustes de tarifas em seu benefício.

No total, o acordo celebrado prevê o pagamento de R$ 750 milhões em multas pela Rodonorte, que também deve se submeter a um programa de monitoramento por 32 meses. No total, o acordo prevê o pagamento de R$ 750 milhões em multas pela Rodonorte.

Em nota, a empresa informou que continuará contribuindo com as autoridades. O acordo ainda está sob sigilo.


10 comentários

  1. johan
    quarta-feira, 6 de março de 2019 – 22:31 hs

    Caro Fábio, lamentável essa descoberta a respeito da RodoNorte. Não é para menos, pois é só consultar quem são os principais acionistas. Como paranaense e indignado com esse fato, sugiro incluir nos editais da nova licitação, que as empresas concessionárias atuando em seus trechos atuais, ficam impedidas de participar nos mesmos lotes. Essa sugestão parte do princípio que a RodoNorte é uma empresa que não cumpre contrato. Quando cumpre contrato pratica atos de corrupção. É uma empresa com dirigentes irresponsáveis, negligentes e imprudentes, haja visto o elevado índice de acidentes com mortes, pelas obras não executadas.
    Atenciosamente.

  2. urtica urens
    quinta-feira, 7 de março de 2019 – 7:26 hs

    ….

    #beto#

    tem que ver o sol quadrado….

  3. quinta-feira, 7 de março de 2019 – 7:33 hs

    Enquanto isso, em Gothan Cyti….servidores do poder executivo…esmolam reajustes devidos…rsrsrsrsr Ou nos tornamos Nação, ou seremos sempre Capitania Hereditárias, sob o domínio de ladrões.

  4. Tia Amélia
    quinta-feira, 7 de março de 2019 – 9:14 hs

    E quem pagou e paga esta propina foi cada veículo que passa nas cancelas dos pedágios, estes corruptos tem que ser punidos e presos, eles impedem o crescimento do pais, prejudicam pessoas, são criminosos!
    Você que é investigado, denunciado ou já preso, lembre sempre que VOCÊ PREJUDICOU PESSOAS E O PAÍS!

  5. quinta-feira, 7 de março de 2019 – 9:19 hs

    ENTÃO ERA UMA MÁFIA COM DISFARCE DE GENTE DO BEM???KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  6. Luciano R. Ayres
    quinta-feira, 7 de março de 2019 – 9:45 hs

    O lamentável nesse imbróglio todo foi a demora na apuração desses fatos, a inoperância do MPE e MPF, que esperaram até o final dos contratos das concessionárias para tomar medidas contra essa corrupção desenfreada que ceifou vidas, minou o bolso dos contribuintes, elevou o preço do frete às alturas, e encheu os bolsos dos corruptos. Pois, a lembre das falcatruas dos pedágios a anos vem sendo levantada e discutida e ninguém apareceu para dar um basta. A CCR está pedindo leniência, vai devolver dinheiro, vai cortar em 30% o valor do pedágio nas suas cancelas e fazer as obras previstas até o final do contrato. Quanta bondade não acham? O que esses malandros querem na verdade é manter as suas concessões na próxima licitação, e esses recursos que deixaram de arrecadar nesse interstício será devidamente recuperado na próxima concessão, eles não perdem. Quem perde é a população que paga caro por um serviço que deixa a desejar.

  7. JM
    quinta-feira, 7 de março de 2019 – 9:52 hs

    Quem paga, o povo.

  8. coxa branca
    quinta-feira, 7 de março de 2019 – 11:44 hs

    Na sede do Governo todos nós sabemos quem eram os Governadores, mas quem será o grande recebedor desse montão de propina no Tribunal de Contas? Seria um poderoso ex-Deputado Estadual?

  9. Fiora Neto
    quinta-feira, 7 de março de 2019 – 12:22 hs

    …Segundo as investigações, empresas que administravam o pedágio pagavam percentuais de propina a agentes públicos e políticos há cerca de 20 anos, em troca da supressão de obras previstas em contrato e de reajustes de tarifas em seu benefício…
    E agora família Requião?

  10. Armando Pinto
    sexta-feira, 8 de março de 2019 – 10:43 hs

    Quero ver esta turma de Corruptos na prisão!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*