Estes são os cinco que se tornaram réus com Richa na Quadro Negro | Fábio Campana

Estes são os cinco que se tornaram réus com Richa na Quadro Negro

Além de Beto Richa, o juiz Fernando Bardelli Silva Fischer também aceitou as denúncias contra o primo de Richa, Luiz Abi Antoun, o ex-assessor de Richa, Ezequias Moreira, Jorge Atherino, Maurício Fanini, ex-diretor da Secretaria de Educação e Eduardo Lopes de Souza, proprietário da construtora Valor.

Fanini e Eduardo Lopes são delatores na operação. Atherino e Moreira também foram presos preventivamente na mesma ação da Quadro Negro que prendeu Beto Richa.

No Leia Mais, veja por quais crimes cada um deles se tornou réu:

Beto Richa: organização criminosa, corrupção passiva e prorrogação indevida de contrato de licitação;
Luiz Abi Antoun: organização criminosa e corrupção passiva;
Ezequias Moreira: organização criminosa e corrupção passiva;
Jorge Atherino: organização criminosa e corrupção passiva;
Maurício Fanini: corrupção passiva;
Eduardo Lopes de Souza: corrupção passiva.

Aceitação da denúncia
Ao tornar Richa e as outros cinco pessoas réus, o juiz ressalta que o ex-governador é apontado pelo MP como chefe da organização criminosa e principal beneficiado com o esquema de recebimento de propinas pagas por empresas privadas responsáveis por obras nas escolas estaduais.

Fischer destaca que os “indícios de autoria estão consubstanciados no conjunto de elementos probatórios”, como despachos assinados pelo ex-governador autorizando a realização de termos aditivos nos contratos de construção e reforma.

O juiz também aponta como indícios os relatos de testemunhas e delatores, como Maurício Fanini, que afirmou que recebia as propinas e que fazia o repasse a Richa.

Eduardo Lopes, outro delator no processo, também citado no documento. Fischer destaca que, em depoimento, ele afirma que Beto Richa tinha ciência do esquema criminoso.

No documento, o juiz também destaca a publicação no Diário Oficial do estado de 9 de dezembro de 2014, em que, segundo ele, o ex-governador autoriza seis aditivos aos contratos das escolas no mesmo dia. Todos em favor da Construtora Valor, em um montante que ultrapassava R$ 5 milhões.


8 comentários

  1. Jairo Matos Almeida
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 8:14 hs

    Mas eu pergunto sr juiz ….aquela pergunta que não quer se calar !!!

    Ricardo rached era o leva e trás do Beto lixo era o garoto faz tudo ,era que viivia com todos os denunciados ..não vai fazer compnhania da turma do barulho …

    O tal de Fábio dalazem este chegou a comprar mansao e barco e carrão , tá mais que envolvido

    O cunhado do Denilson rodo o tal de Claudio Pacheco montaram uma rede de restaurantes em Curitiba a mando de quem ???
    O tal de Anselmo ,um tal de Agostinho crepevile , leva esta turma que vão abrir a boca ,não vão aguentar a pressão

  2. Lili
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 8:53 hs

    Alguem sabe quando serão presos os outros Corruptos denunciados pelo MPPR?

  3. Larissa Adriana
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 9:16 hs

    Corruptos que tiraram escolas, desevolvimento e sonhos das crianças!

  4. Joel
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 10:47 hs

    Tem mais uns 10 figurões no rolo!

  5. JM
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 11:09 hs

    Vai faltar prisões neste país.

  6. PitBull
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 15:33 hs

    Desse o sarrafo nessa CORJA

  7. Luiz Antonio
    terça-feira, 26 de março de 2019 – 21:39 hs

    Onde, quando, com quem e por quê Beto Richa se perdeu? Está acabado politicamente, levando para o buraco toda a família e todo o seu legado.

  8. terça-feira, 26 de março de 2019 – 22:00 hs

    Ezequias veio de Arapongas trabalhar na Alep nadou …nadou ….e morreu na praia. Sorte que emplacou a sua esposa como assessora do Tribunal de Contas MP tem que ver isso. Pois o dinheiro da sogra ele surripou .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*