Alvaro demonstra desconhecimento da Justiça Eleitoral, afirma o Iprade | Fábio Campana

Alvaro demonstra desconhecimento da Justiça Eleitoral, afirma o Iprade

O Instituto Paranaense de Direito Eleitoral (Iprade) repudiou as declarações do senador Alvaro Dias (Podemos-PR), sobre a constituição da Justiça Eleitoral do Brasil, que terá a prerrogativa de julgar os crimes de Caixa 2, conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF).

“É lamentável ouvir de um Senador da República afirmações absolutamente equivocadas”, diz trecho da nota do Iprade, sofre a manifestação de Alvaro Dias.

“Somente quem desconhece a estrutura constitucional da Justiça Eleitoral do Brasil é capaz de afirmar ser ela inconsistente, frágil e sem condições de julgar qualquer crime fora do contexto do Código Eleitoral e da legislação correlata”, disparou o Instituto.

Alvaro Dias afirmou que “advogados militantes” podem perfeitamente, durante o dia, preparar a defesa dos seus clientes e “à noite, com toga de juízes, julgá-los”.

“A composição dos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE’s) é jurídica e não política, fiscalizada por diversas instâncias de controle”, informou o Iprade.

Que completa: “O IPRADE manifesta absoluto e incondicional apoio aos membros do TRE do Paraná, seus juízes e funcionários de todas as escalas, que lutam pela democrática manifestação popular consistente no voto, não faltando exemplos de sua integridade e dedicação, desprezadas pelo agente político em infeliz sustentação”.


6 comentários

  1. segunda-feira, 25 de março de 2019 – 9:40 hs

    Bah,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

  2. segunda-feira, 25 de março de 2019 – 10:23 hs

    Faz tempo que ficou desatualizado, isso chama-se prazo de validade vencido. Ficou o discurso ultrapassado e o botox vencido.
    Os políticos assim como os jogadores de futebol devem reconhecer a hora de pendurar as chuteiras.

  3. HORA DA VERDADE
    segunda-feira, 25 de março de 2019 – 11:50 hs

    Evidente que foi uma força de expressão do Senador Paranaense e que o bero dos advogados que atuam no eleitoral é tambem revanchista pelo temor da extinção da chamada Justiça eleitoral (mais um cabide de empregos da maquina judiciaria).
    A composição destes Tribunais Regionais Eleitorais é assim formada:

    Dois juízes escolhidos dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça (TJ) de sua unidade federativa;
    Dois juízes de direito, escolhidos pelo TJ;
    Dois juízes nomeados pelo presidente da República. Sendo estes advogados com notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados, também, pelo TJ.
    E, por fim, um juíz do Tribunal Regional Federal (TRF) com sede na capital. Caso não haja, o cargo vai para um juíz federal.

    Que o IPRADE, informe o distinto publico POR QUANTO TEMPO UM DESTES JUIZES fica no TRE?

    A constante mudança destes juizes é que não permite agilidade no julgamento destes milhares de processos de corrupção (rotulados como caixa 2) e assegurarem a impunidade.

  4. Rogério
    segunda-feira, 25 de março de 2019 – 13:18 hs

    Se não estou enganado, justiça eleitoral só existe no Brasil pq em outros países é só uma justiça pra julgar diversos crimes, já passou da hora de acabar com essa justiça eleitoral e ministério do trabalho .

  5. jorge
    segunda-feira, 25 de março de 2019 – 21:49 hs

    Acho que Alvaro Dias está certo

  6. terça-feira, 26 de março de 2019 – 6:49 hs

    Alvaro Dias está certo. TRE e IPRADE não deveriam estar pendurados no consumo dos impostos pagos pelos brasileiros que realmente trabalham.
    Outrossim, as tais placas do Mercosul não condizem com as necessidades da fiscalização do trânsito brasileiro, portanto, não deveriam
    ser adotadas pelo governo essa mudança.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*