Zema chama tragédia de Brumadinho de 'incidente' | Fábio Campana

Zema chama tragédia de Brumadinho de ‘incidente’

Tá ficando ruim para o governador de Minas Gerais. Romeu Zema (Novo). Ele chamou o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, que deixou mais de 160 mortos e dezenas de desaparecidos, de “incidente” e disse que a mineradora está fazendo o possível para minimizar os danos. “Não tem faltado por parte da empresa neste momento assumir esse compromisso. Parece que desta vez eles reconheceram o erro apesar do incidente”, afirmou, segundo o Estado de Minas.
A declaração foi ontem, após ele ouvir críticas de deputados federais com quem se reuniu na Cidade Administrativa. O governador disse aos deputados que a Vale tem concedido tudo que é pedido pelos Bombeiros, Polícia Militar e famílias dos atingidos após o desastre. E defendeu que a oferta da empresa responsável pela barragem Córrego do Feijão, de conceder de R$ 1 milhão a R$ 2 milhões às famílias dos mortos, seja aceita pelos atingidos e encerre as negociações.
Zema também procurou isentar o estado de responsabilidade na tragédia, afirmando que coube à Secretaria do Meio Ambiente a concessão de licença, mas que os critérios de exploração e a fiscalização são da Agência Nacional de Mineração.
É bom lembrar, como citou o BR18, que no dia da tragédia, o governador já tinha dado sinais de sua falta de tato ao afirmar que apenas corpos seriam resgatados.

(Foto: Ramon Bittencourt/O Tempo/Reprodução)


3 comentários

  1. Pann Garé
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 17:44 hs

    Como estamos num país que é um verdadeiro chiqueiro, em breve algum “iluminado” vai afirmar que a culpa é das vítimas.

  2. j silva
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 17:54 hs

    mais um canalha q surfou nas aguas do capitao-infelizmente acho q no Brasil so um cb e dois soldados poderao dar conta- ta amarrado as coisas nao andam-inclusive no gov do capitao -lamentavel

  3. Doutor Prolegômeno
    quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019 – 11:17 hs

    O Zema ou azêmola?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*