Plauto quer saber como avião da Copel é usado pelo Governo | Fábio Campana

Plauto quer saber como avião da Copel é usado pelo Governo

Plauto Miró está com a artilharia apontada para o Palácio Iguaçu e para a Assembleia Legislativa. Antes mesmo do discurso de ontem que estremeceu o Centro Cívico, em que afirma que tem o arquivo de tudo que tramitou e passou pelo Legislativo paranaense durante os últimos oito anos, ele já tinha dado pistas.
Fez um requerimento no plenário da Assembleia questionando o uso de um avião da Copel pelo Governo de Ratinho Jr. O estranhamento da questão está no fato do DEM fazer parte da base de apoio do governo.
“Tenho aqui uma preocupação muito grande pois estamos acompanhando a informação de que o governador Ratinho Júnior rompeu o contrato com a empresa que locava a aeronave para as viagens do Executivo e agora vem usando o avião da Copel. Pedimos informações sobre qual foi o gasto com este avião para o transporte de parlamentares, do governador, do vice, porque, afinal, a Copel é uma empresa pública. Queremos saber o que está acontecendo em relação ao uso do dinheiro público. Espero ter respostas da Copel e da Casa Civil”, discursou Plauto.

(Foto: Sandro Nascimento/Alep)


11 comentários

  1. Angela Alessandra
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 10:53 hs

    Ele tá brabinho, porque não irá mais devolver ao governo o cheque da Assembléia no final de ano! kkk

  2. Thor
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 10:58 hs

    Da a chupeta pro bebe nao chorar mais.Esse Plauto no tempo do Beto Richa fingia que fiscalizava e agora que perdeu a teta na Alep e Governo do Estado quer fazer o papel de bom moço.Onde ele estava quando o Lerner e Beto receberam propinas das concessionarias de pedagio?

  3. CLOVIS PENA - Como termina ?
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 11:00 hs

    Denúncias muitas vezes representam um ônus para o denunciante, que, se sabia de ilegalidades as guardou.

    Como o preço destas coisas é bastante caro, aguardemos para ver se as coisas evoluem para além de insinuações.

    Como está começando o destampatório, já sabemos.

    Como isto vai terminar é a dúvida. Tem fumaça !

  4. Aguirre
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 11:36 hs

    O deputado não está bem informado ao considerar a Copel uma empresa pública, mas com a razão ao criticar o uso indevido dos bens da companhia pelo governador. Ver artigo 5º, inciso III, do Decreto-Lei nº 200, de 1967
    Embora a empresa tenha capital público, ela não é considerada, juridicamente, empresa pública (para isso, seria necessário que todo o capital fosse do Estado).
    Além disso, o capital da companhia é aberto, com ações negociadas em bolsa, e repartido entre acionistas individuais e/ou pessoas jurídicas.
    O Estado possui apenas 31% do capital da Copel mas age indevidamente como seu proprietário ao usufruir de bens e serviços da empresa, como o uso desse avião.
    É uma fraude conjunta do governador, do conselho de administração e diretoria da Copel.

  5. johan
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 12:00 hs

    Caro FÁBIO, queremos PARABENIZÁ-LO e congratularmos com o Deputado Plauto, pela ação de fiscalização do executivo pelo parlamento. Como ação com esse viés e dessa envergadura, não é praticada pelos parlamentares há muitos anos, contra o executivo, pois parcela de apoio dos parlamentares está no bolsinho do colete do governador, a sociedade acha estranha essa atitude, e por isso merece destaque. Após a eleição de 2018, a sociedade deixou muito bem claro, que os ventos que sopram a favor da sociedade, de um país livre, sem corrupção, democrático, são desejos de toda a sociedade, e essas ações merecem o apoio dos eleitores para vermos o país mudar. Que continuem nessa linha, e que os demais parlamentares que não estão no bolsinho, possam ter a liberdade e a coragem de fiscalizar o governo e o sistema instituído e estabelecido, que por vezes orienta de modo inadequado as ações tomadas pelo governador. Ele não sabe tudo. Atenciosamente.

  6. Thor
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 12:31 hs

    Esse Johann pelo tom da escrita em citar bolsinho tambem envolveu o Plauto,pois nos 8 anos do Governo Beto ele nao fiscalizou nada,ou seja,estava no bolsinho,ou melhor dizendo,estava no saco porque se aproveitou e muito da roubalheira do Richa.

  7. Joares
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 12:37 hs

    Os boatos aqui da Alep dão conta que ele tá dando uns pulos aí para agilizar uma investigação a respeito de um graúdo do palácio e um esquema pesado do passado.

  8. Hilander
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 13:24 hs

    Todo político, tem rabo preso, e a figuirinha aí, não é exceção, ainda mais quando estava comunado com o Rossoni!

  9. quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 14:42 hs

    NADA COMO UM DIA ATRÁS DO OUTRO COM BASTANTE RELAMPAGOS DE NOME VIDRAÇAS,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  10. Mestre Yoda
    quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019 – 17:08 hs

    KKK o titio do Carli Filho está muito mordido com o governador, até parece que foi ele que tirou o deputado irritado da poder da mesa diretora da Alep. É de estranhar esta preocupação com o uso do avião da estatal da luz, ele era tão usado que até puseram-no à venda, não foi vendido porque não quiseram pagar os milhares, ou será milhão de dólares, pedidos por ele. Agora que os motores estão sempre quentes o deputado parece estar preocupado com o estado da aeronave. A estatal da luz não aprece prescindir do mesmo tanto assim.

  11. CURITIBANO
    sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019 – 18:06 hs

    QUE EU ME LEMBRE O PAIS DO DEPUTADO TEVE GRANDES “PROBLEMAS” QUANDO SECRETÁRIO DE ESTADO NA DÉCADA DE 60……ENTÃO SERIA BOM FICAR QUIETO PARA QUE NÃO VÃO BUSCAR SUJEIRAS NO FUNDO DO BAÚ .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*