Pântano sem vida | Fábio Campana

Pântano sem vida

Afundados no lamaçal que se estende por uma área equivalente à de 300 campos de futebol, os corpos das vítimas do rompimento da barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, são procurados minuciosamente. A maioria sai aos pedaços — a identificação se dá quase sempre por arcada dentária e DNA. O que era escritório, refeitório, casa, pousada — tudo cheio de vida — está soterrado em toneladas de lama, pronta para engolir quem se arrisca nas buscas. O país, pasmo, vê a tragédia de Mariana se repetir, ampliada.
O texto é da revista Veja, que nesta semana preparou cobertura especial sobre o assunto. Até agora, são 110 mortos e 250 desaparecidos.

(Foto: Antonio Lacerda/EFE)


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*