Nem que tussa | Fábio Campana

Nem que tussa

Há uma situação que gera crescente desconforto entre os Procuradores da Operação Lava Jato e na Policia Federal. Luiz Abi Antoum, indiciado e condenado, não atende às ordens judiciais que exigem sua presença perante a Justiça Federal em Curitiba. Desde setembro de 2018 ele saiu do país, beneficiado por uma liminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF. Escafedeu-se. Está no Líbano e alega não poder viajar porque sofre de um incrível acesso de tosse que dura quase meio ano.

Agora, Luiz Abi é novamente acusado, desta vez pelos crimes de organização criminosa e corrupção passiva, suspeito de integrar um grupo responsável por desviar o valor estimado de R$ 8,4 bilhões por meio de supressões de obras rodoviárias e aumento de tarifas, em concessões do Anel de Integração. Contra vele já havia um mandado de prisão temporária na 58.ª fase da Lava Jato. O MPF buscará cooperação jurídica internacional para citar o acusado. E, como diz, um delegado da PF, vai ter que voltar, nem que seja na marra. Nem que tussa.


8 comentários

  1. Gladiador
    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019 – 15:32 hs

    O Libano nao tem acordo de extradiçao. Pode tossir a vaca, quero ver quem vai la pega-lo, principalmente se tiver dupla cidadania. Alias, tem dezenas de paises que nao tem acordo com o Brasil. Vao ter que esperar cometer um erro, como o Cacciola.

  2. Paulão
    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019 – 18:24 hs

    Este safado está com as burras cheias de dinheiro, que é dele e de seu primo distante, guardados em bancos libaneses para usar e abusar. O jeito será a Interpol ficar de campana nele, e na primeira oportunidade que ele pisar fora do Líbano dar um jeito de prendê-lo e na sequencia mandar para o Brasil

  3. marcio
    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019 – 19:22 hs

    Interessante, agora ele é de fato um primo distante, está longe.

  4. CARLOS HENRIQUE
    sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019 – 22:02 hs

    Acho que existe um equivoco.
    O noticiado foi que , por mais paradoxal que pareça, quem o liberou para viajar foi o Dr. Nanuncio de Londrina. O mesmo que decretou a preventiva do primo distante.

  5. Luiz Flávio
    sábado, 23 de fevereiro de 2019 – 7:59 hs

    Exatamente Carlos, essa e a versão em Londrina. Até o momento esse juiz não deu um Pio sequer, nao se defendeu, está se fingindo de morto. Dr Juiz, vá e se pronuncie em público, foi vc que deu a carta de alforria para este vagabundo?

  6. antonio carlos
    sábado, 23 de fevereiro de 2019 – 16:11 hs

    O primo do meu pai que não é meu primo e nunca ouvi falar dele vai se refugiar entre o pessoal do ISIS que ainda resistem lá na Síria, ali do ladinho do Líbano. Aí não há Interpol que pegue o primo que não é primo

  7. domingo, 24 de fevereiro de 2019 – 8:07 hs

    TINHA QUE OBRIGAR O GILMAR MENDES IR BUSCAR ESSE VAGABUNDO. ESSE MINISTRO GOSTA DE VAGABUNDO .

  8. Juca
    segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019 – 11:34 hs

    O FDP Gilmar Mendes é responsável por isso!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*