Garcia reconhece que a situação financeira é "confortável" | Fábio Campana

Garcia reconhece que a situação financeira é “confortável”


Por mais que insista em dizer que recebeu o Paraná em condições adversas, o secretário da Fazenda, Renê Garcia, é obrigado a reconhecera que a situação financeira e fiscal do Paraná é mais que confortável. Se comparada a da maioria absoluta dos outros estados é uma situação hiper privilegiada. É o que ele disse hoje pela manhã, na Assembleia Legislativa, quando apresentou o relatório das contas do Estado referentes ao último quadrimestre de 2018.

“A situação do Estado do Paraná, quando comparada com o resto do Brasil, apresenta-se, sem dúvida, em uma situação bem mais confortável. Tem Estados que estão com quatros meses de salários atrasados e aqui estamos pagando todas as obrigações em dia, nós temos de alguma forma alguma folga no caixa para fazer frente ao pagamento de custeio e de algum grau de investimento”, disse Garcia.

“Mas o que nos preocupa é a trajetória deste desequilíbrio potencial proveniente de um aumento de custos, de um aumento de despesas de várias naturezas”, acrescentou.

Com uma narrativa técnica, segundo ele, Rene Garcia afirmou que o Estado encerrou o ano com R$ 5,1 bilhões em caixa. Desses R$ 2,2 bilhões são de superávit, que descontados os restos a pagar e recursos de fundos com destino específico, sobram R$ 192 milhões, que estão efetivamente livres e disponíveis em caixa.

Os números foram contestados pela assessoria da ex-governadora Cida Borghetti. Segundo a assessoria, o governo Cida deixou R$ 491 milhões de recursos livres. São os R$ 192 milhões apresentados na Assembleia somados a R$ 299 milhões de recursos de outras três fontes. Os dados, ainda segundo a assessoria da ex-governadora, estão disponíveis no relatório de gestão fiscal publicado no Portal da Transparência.


5 comentários

  1. EU
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 17:53 hs

    Pois, pois.
    Então quer dizer que, mesmo com as seguidas más gestões, há dinheiro em caixa.
    Traduzindo, caso houvesse menos desperdícios, menos cargos em comissão, mais eficiência da máquina pública e, principalmente menos corrupção, poderíamos ter reposição do quadro de funcionários públicos, estrutura pública funcional para o cidadão, reposição da inflação nos salários dos servidores, qualidade na prestação dos serviços públicos e etc, etc, …
    Apesar de tudo (quadro negro, pedágio e outras falcatruas) e de todos (cida, beto, pessuti e requião) as finanças estaduais resistem!
    Veremos como será ao final de mais um desgoverno, agora sob a direção do camundongo júnior (que um dia já foi do beto richa) e sua tropa.
    Veremos!

  2. Observador
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 18:05 hs

    Parabéns governador Beto Richa!
    Fez merda? fez!
    mas apesar dos pesares conseguiu manter o Estado com uma situação equilibrada

  3. LACAIO
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 19:52 hs

    Má escolha Governador. Aproveite para rever logo.

  4. Do Interior
    quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 – 9:15 hs

    Eu. Poderia ser pior, se as gestões anteriores fosse o PT.

  5. Anthero Bialoviski
    quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 – 15:50 hs

    Esse sujeito me faz ter saudades do Mauro Ricardo…E até do Bozo…Esse sujeito é prepotente, inventor da roda…Despreparado.
    Como pode o governador ter feito isso com o Paraná?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*