Fim da regalia para políticos | Fábio Campana

Fim da regalia para políticos


O deputado Paulo Eduardo Martins (PSC- PR) não tem medo de se posicionar sobre os temas mais polêmicos que vão a debate na Câmara Federal. Nesta quarta-feira, 20, estava presente no momento em que o presidente Jair Bolsonaro entregou a proposta da reforma da Previdência. E o líder do PSC na Câmara fez questão de desatacar que este é um divisor de águas: “Esta é a pauta mais importante do país. E o Brasil é de
responsabilidade de todos. Reformar é preciso. Chega de sabotagem”.

Ainda sobre o texto, Paulo Eduardo acrescentou que ele acaba com a aposentadoria especial de deputados e senadores, como sempre defendeu. “Todos se aposentarão pelo regime geral da Previdência Social, como sempre defendi”. A proposta do Planalto determina que o máximo que os políticos poderão receber é o mesmo que teto previsto para funcionários da iniciativa privada, cerca de R$ 5800 e terão que contribuir normalmente com o INSS, como acontece com todo trabalhador.

Outro tema crucial para o país é o pacote Anticrime apresentado pelo juiz Sérgio Moro esta semana.Nele, a novidade ficou por conta da
retirada do trecho que previa a criminalização do Caixa 2 da proposta principal. Ele vai tramitar separadamente.E, no entender do deputado Paulo Eduardo Martins, esta é a estratégia correta: “É preciso ser prudente. Toda vez que você coloca um pacote, muitas vezes, um item controverso enterra os outros itens que não são. Portanto, é preciso trabalhar para que ele seja aprovado”.


12 comentários

  1. luis
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 17:31 hs

    Hum beleza, então se o cara ganhar bem, vai pagar 22% de previdência e mais 27,5% de imposto de renda, logo o ministro do STF vai ficar só com a metade do salário e quando ele for se aposentar vai receber o teto do INSS?! Então terá que fazer um plano de previdência por fora?!!! Puxa eu nem quero ser ministro mesmo!

  2. PitBull
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 17:58 hs

    Essa eu pago pra ver….

  3. Fabiano Seth
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 18:25 hs

    Besteira. Isso só vale para os novos. Os que estão tem suave transição. Muito ao contrário do povão , que tomou no fiofó. Vcs são risíveis, imprensa de quinta.

  4. quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 18:42 hs

    Bah,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

  5. Luiz Eduardo Kossatz Hunzicker
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 19:33 hs

    E O JUDICIÁRIO COMO FICARÁ?

  6. Rafael Êrico Kalluf Pussoli
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 20:57 hs

    Meu voto,vem representado na Câmara Federal!O melhor deputado federal do Paraná disparadamente e eu acho o melhor deputaso federal do Brasil!

  7. Rafael Êrico Kalluf Pussoli
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 20:58 hs

    Meu voto,bem representado na Câmara Federal!O melhor deputado federal do Paraná disparadamente e eu acho o melhor deputaso federal do Brasil!

  8. Vitor
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 21:18 hs

    Erro pouco porque me cobro muito. Acertei em cheio meu voto. Manda ver garoto!!

  9. Fabio
    quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019 – 21:23 hs

    E na legislatura passada que negócio com o ex deputado então chefe da casa civil pra deixar seu puxa sacos lotados em
    Brasília, isso ele não fala né !!!!!

  10. Entendedor
    quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019 – 7:42 hs

    Engraçado que o “povão” entra na reforma agora, isso em qualquer setor, os políticos apenas os novos eleitos de uma futura eleição, isso significa que as raposas velhas receberão como recebem hoje, gordas aposentadorias. #reformadamentira

  11. Reginaldo
    quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019 – 9:13 hs

    Deputado deputado

    Negócio na legislatura passada pra entrar … até deixou pessoas ligadas ao ex chefe da casa civil então deputado …

  12. Mestre Yoda
    quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019 – 11:53 hs

    Apoiado Paulo mas vai ficar falando sozinho, porque deputado profissional não quer saber de reforma da Previdência na aposentadoria dele.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*