CT do Flamengo recebeu R$ 10 milhões em isenções fiscais | Fábio Campana

CT do Flamengo recebeu R$ 10 milhões em isenções fiscais

A construção do centro de treinamento Ninho do Urubu teve uma colaboração de R$ 10,37 milhões (em valores corrigidos) de programas de renúncia fiscal do governo do Rio de Janeiro, segundo levantamento realizado pela Folha de S. Paulo.
Pelos dados estampados pelo jornal, os recursos captados para a construção do CT foram levantados em 2013 e 2014, tendo como contribuintes a cervejaria Ambev e a Lafarge, empresa de materiais de construção.
Em 2013, a instituição esportiva arrecadou 2,5 milhões de reais (3,9 milhões de reais, em valores corrigidos) para construir o CT. Já em 2014, obteve 4,5 milhões de reais (6,5 milhões de reais, em valores corrigidos).
Ao receber as doações, o clube tem a obrigação de prestar contas da utilização do dinheiro, apresentando notas fiscais dos serviços contratados ou materiais comprados aos órgãos públicos que concederam a autorização para captar o dinheiro. No caso, a Secretaria de Estado de Esporte, Lazer e Juventude do Rio.

(Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/AFP)


2 comentários

  1. antonio carlos
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019 – 18:03 hs

    KKK mas se trata da maior torcida do Brasil, da “paixão nacional”, como questionar isto sem ferir interesses? Aqui sempre foi assim e sempre será, tranca em porta depois de arrombada. A tragédia de Mariana não serviu de alerta para nada, agora choramos os mortos de Brumadinho. E os garotos mortos no CT do rubro negro carioca, quem é que vai ter a coragem de achar os culpado por mais este descaso com a vida alheia? Trata-se nem mais nem menos do que o CRF.

  2. EU
    segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019 – 22:06 hs

    O mundo (ou seria o submundo) do futebol definitivamente virou um antro de espertos que faturam muito com a paixão de milhões de inocentes.
    E os espertos, cada vez mais ricos, não dão qualquer satisfação e ficam eternamente impunes uma vez as vistas grossas das autoridades e da cumplicidade da mídia que, por sua vez, também fatura muito em cima dos otários.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*