As finanças do Paraná preocupam, diz Homero Marchese | Fábio Campana

As finanças do Paraná preocupam,
diz Homero Marchese

Para o deputado Homero Marchese, situação da previdência, baixa capacidade de investimento e o reajuste do funcionalismo trarão dificuldades para o governo

A situação fiscal do Paraná é de equilíbrio, mas a trajetória das contas públicas dá motivos para preocupação. Essa é a análise do deputado Homero Marchese sobre a explanação do secretário da Fazenda do Paraná, Renê Garcia Junior. O secretário apresentou, em audiência pública realizada na manhã desta quarta-feira (27), na Assembleia Legislativa, o balanço orçamentário do estado de 2018.
“A previdência é um problema a ser enfrentado. Os repasses para o Paraná Previdência em 2018 totalizaram R$ 5 bilhões, com um crescimento de 7% em relação ao ano anterior. Atualmente, 9% do orçamento do estado é gasto com previdência. Para 2019, esse cenário poderá se agravar”, disse.

Para compensar os gastos previdenciários, o governo tem se esforçado para reduzir outras despesas. “Em 2018, gastar menos também significou investir menos. Os investimentos compuseram 7,01% da despesa total e atingiram patamar de R$ 3,2 bilhões em 2018, com uma queda de 10,28% em relação ao ano anterior”, explica Homero.

O reajuste dos servidores representa um desafio para o governo. Os gastos com folha de pagamento dos servidores ultrapassarem o limite de alerta estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Este cenário gera uma série de restrições para um novo aumento para o funcionalismo.
Homero lembrou que o equilíbrio fiscal foi obtido a partir de elevação de tributos, aumento de taxas e ampliação da substituição tributária. “A fórmula escolhida permitiu o aumento da arrecadação do estado. Esse caminho, que tira da população para cobrir os gastos do estado, vai encontrar barreiras em um país que caminha em sentido contrário.”


13 comentários

  1. quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 18:27 hs

    Quem é esse deputado? Não acrescentou nada. Tem alguma proposta?
    Me preocupa a situação do coxa, a chuva de verão, a crise da Venezuela.
    Tipo do cara pessimista pode ter certeza.

  2. nestor da silva
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 18:30 hs

    Caríssimo fabio campana , você como bom jornalista que é você sabe muito bem que o funcionalismo teve zero por cento de aumento no ano passado, a cida borguetti ofereceu 1 por cento de aumento, mas os sindicatos bateram o pê porque queriam 2, 76 por cento, e acabou que a cida nào deu nada, inclusive o ratinho junior apoiou o funcionalismo público nas suas reênvindicaçôes , me desculpe ao nobre deputado citado no texto acima, mas esta informação de reajuste de 1 por cento não procede.e o funcionalismo que votou maciçamente no ratinho junior espera que ele continue com o mesmo posicionamento favorável a reposição da inflação nos salários dos servidores do executivo, que amargam 3 duros anos de congelamento de seus salários.obrigado pela atenção e um forte abraço.

  3. FERNANDO
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 18:55 hs

    Caro Fabio, como já falei anteriormente nesta coluna, o grande problema do Estado do Paraná, são as Universidades Estaduais, e a Secretaria da Educação, onde os Reitores e diretores e professores são Petistas, gastam a torto e direito o dinheiro público, para tentar quebrar o Estado do Paraná, com a finalidade de prejudicar o Governador Ratinho Junior e seu Vice- Darci Piana, que estão com boas intenções.

  4. Luiz
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 19:00 hs

    Excelente deputado, sério, honesto e brilhante, futuro prefeito de Maringá

  5. Paulo Sergio
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 19:45 hs

    Parabéns Homero! um politico diferente que vai fiscalizar as contas do Paraná.

  6. João Carlos
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 20:04 hs

    Marchese é ex-servidor do Tribunal de Contas, onde trabalhou nas áreas de assessoria técnica jurídica. Concursado, pediu exoneração após ter testemunhado irregularidades dentro do próprio TCE. Foi uma odisseia: virou pedra no sapato de alguns conselheiros e diretores. Até que, constatando que não tinha poderes para moralizar o Tribunal e, em razão das pressões internas, preferiu pedir exoneração demonstrando a sua honestidade e luta.

  7. Edson Luiz
    quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019 – 23:11 hs

    É óbvio que os servidores do executivo ( policiais, professores, agentes penitenciários e outros), que são os que mais trabalham e menos ganham, como sempre, serão o motivo da crise.
    Sem reposição da inflação ( só ignorantes ou maldosos propositais chamam isso de aumento) desde 2016, e ainda assim são a causa da crise!
    Será que necessita desenhar???

  8. Professor
    quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 – 7:42 hs

    É óbvio que a previdência está quebrada, Beto Richa com apoio maciço da Bancada do Ratinho JR, 12 deputados para que não esqueçam, surrupiou 8 bilhões de um sistema que estava estável e tranquilo por anos. Enquanto acreditarem em políticos, juízes e exército, na visão deles o mal da sociedade sempre é ela mesmo, sigam as elites e verão o que seremos.

  9. joão Antônio Guimarães
    quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 – 9:02 hs

    Servidores e aposentados sempre são os culpados. E as regalias dos senhores deputados?

  10. Belo
    quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 – 9:16 hs

    Jamais iremos esquecer o ROUBO do patrimônio dos SERVIDORES, os quais acumularam a duras penas para a aposentadoria justa e merecida.
    Se as contas da previdência preocupam o deputado, basta devolver os BILHṌES roubados pelo governo antecessor e as contas ficam superavitárias.

    O dinheiro da Previdência tem que voltar a ser totalmente vinculado. Ele não pode ser administrado por governo algum. Ele pertence àqueles que lhe deram existência através de anos de contribuição mensal.

    “Legado de Richa à Paranaprevidência é de R$ 4,6 bilhões a menos em caixa
    Reforma no sistema previdenciário estadual, que culminou na Batalha do Centro Cívico, permitiu que o governo passasse a sacar R$ 145 milhões mensais do patrimônio dos aposentados”

    Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/politica/parana/legado-de-richa-a-paranaprevidencia-e-de-r46-bilhoes-a-menos-em-caixa-brgmrouuy0c4t7c3ygn4to7ae/

    Copyright © 2019, Gazeta do Povo. Todos os direitos reservados.

  11. Mohamad
    quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019 – 19:15 hs

    Não é aumento, Não é reajuste e sim apenas a reposição das perdas inflacionárias e que por Lei são chamadas de Data-Base, que não está sendo cumprida no Estado do Paraná, e não interessa a situação de outros Estados, pois, são situações e Estados diferentes.

  12. Suely Fortunato
    domingo, 24 de março de 2019 – 13:46 hs

    É só o STF bater o martelo e aquele desgovernador,que já está preso, chamado de Beto Richa,pagar o que nos deve e deve a Paraná Previdência!Simples assim!!!Mas a julgar pelas redes sociais e algumas posturas do STF,sou mesmo São Tomé! É vergonhoso este Paraná!Propaganda mais do que enganosa!Ratinho Júnior não sabia de tudo isso ou usou o funcionalismo para se eleger?Tomemos uma atitude ,pois as conclusões estão óbvias e nós quem estamos pagando o preço dessa politicalha!

  13. domingo, 31 de março de 2019 – 19:07 hs

    O Servidores do executivo estão a quase 4 anos sem reajuste inflacionário. Enquanto os servidores do judiciário e do Legislativo tem seus reajustes em dia. A média salarial deles e mais que o dobro. De quem é culpa? Acredito ser da própria assembléia, pois no governo Pessuti os parlamentares votaram uma lei aumentando o montante que os poderes legislativo e judiciario passaram a receber, desta forma não teriam problema com a lei da responsabilidade fiscal. A
    estratégia hipócrita e injusta daqueles políticos.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*