Voltou a circular nas redes | Fábio Campana

Voltou a circular nas redes

Vira e mexe o recorte da Tribuna da Imprensa do dia 5 de julho de 1995 volta a circular nas redes sociais.
Na medida em que a família Bolsonaro declara a paixão pelas armas, a oposição relembra do caso em que ele foi assaltado por dois homens que levaram sua moto e sua arma e como se justificou na época: “mesmo armado me senti indefeso”.
E o assunto se espalha por todo o clã que tem passagens por situações em que se misturam a violência urbana e as armas particulares. Em 2016, Flávio Bolsonaro trocou tiros com bandidos e disse ter acertado um deles ao presenciar um assalto na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca. No fim de 2017, Carlos apareceu no YouTube narrando como sacou sua arma para prender um menor sem antecedentes criminais que, segundo ele, tentava roubar uma idosa.
E por aí vai. É guerra!


5 comentários

  1. antonio carlos
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 17:06 hs

    Mas é melhor o assaltante pensar duas vezes antes de assaltar do que ter a certeza de que o assaltado está desarmado. Sou pelo direito de ter uma arma, o que não significa que eu vá ter uma arma. Do jeito que a coisa está os malacos estão armados e eu desarmado, esta balança precisa voltar a se equilibrar.

  2. Aprigio Fonseca
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 0:07 hs

    Alem de levar sua moto e arma ainda deram um cuspida no rabo dele.

  3. Rogerio
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 10:11 hs

    Já que o estado não cumpre seu papel de manter encarcerados os marginais que todos os dias saem de casa para assaltar o trabalhador, que se ferra pra ganhar um misero salario, nada mais justo de o cidadão poder adquirir uma arma de fogo para defender sua família e seu patrimônio.

  4. Veredicto
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 10:24 hs

    Que coisa feia este seu comentário Aprigio, ainda que na época do fato Jair Bolsonaro ainda não fosse presidente, mesmo assim tratava-se de um cidadão que vitima de um assalto. Imaginemos você Aprigio numa situação como aquela. Gostaria de ver um comentário referente a você igual ao seu quando o seu status hoje é diferente de então?Souda opi nião que gostemos ou não, Jair Messias Bolsonaro é o presidente do Brasil e representa todos os brasileiros, os q

  5. Veredicto
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 10:27 hs

    Que coisa feia este seu comentário Aprigio, ainda que na época do fato Jair Bolsonaro ainda não fosse presidente, mesmo assim tratava-se de um cidadão que vitima de um assalto. Imaginemos você Aprigio numa situação como aquela. Gostaria de ver um comentário referente a você igual ao seu quando o seu status hoje é diferente de então? Sou da opinião que, gostemos ou não, Jair Messias Bolsonaro é o presidente do Brasil e representa todos os brasileiros; os que votaram nele e os que não votaram nele.E, como Supremo Mandatário do País, devemos tratá-lo com respeito.
    Desculpe Aprigio, mas é assim que penso.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*