União Europeia pede 'eleições livres' em meio à crise na Venezuela | Fábio Campana

União Europeia pede ‘eleições livres’ em meio à crise na Venezuela

G1

A União Europeia fez um apelo na noite de quarta-feira (23) para a organização de “eleições livres e credíveis” na Venezuela. A declaração aconteceu no dia em que o presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Juan Guaidó, declarou-se presidente interino.

A nota divulgada pela União Europeia, no entanto, não menciona diretamente a iniciativa de Guaidó, que já foi reconhecida por 13 países, entre eles, o Brasil e os Estados Unidos. Nicolás Maduro, que se diz alvo de um golpe, afirmou que não vai se render.

No dia em que os venezuelanos foram às ruas em manifestações pró e contra o governo chavista, a Alta Representante para a Política Externa da União Europeia, Federica Mogherini, afirmou em nota que o povo da Venezuela “pediu maciçamente a democracia e a possibilidade de determinar livremente seu próprio destino. Essas vozes não podem ser ignoradas”.

Mogherini ainda defende que “os direitos civis, a liberdade e a segurança de todos os membros da Assembleia Nacional, incluindo o seu Presidente, Juan Guaidó, devem ser observados e plenamente respeitados”. Guaidó já foi detido há alguns dias após declarar estar disposto a assumir a Presidência.


Um comentário

  1. antonio carlos
    quinta-feira, 24 de janeiro de 2019 – 19:00 hs

    Meu Deus do céu, como estes europeus são malucos, pedir moderação
    em meio a incêndio? Proposta de gente maluca, sem um pingo sequer de moderação. Não foi um ex-presidente de governo espanhol quer atestou a legitimidade das eleições que agora estão sendo contestadas, é este mesmo ex-presidente de governo tão cego assim? Não, é tão hipócrita como a maioria dos países europeus ocidentais.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*