Pesquisa sobre discussão política nas escolas | Fábio Campana

Pesquisa sobre discussão política nas escolas

Junto com a pesquisa sobre educação sexual, o Datafolha também quis saber a opinião dos brasileiros quanto a discussões de assuntos políticos nas escolas. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.
O resultado: a defesa da discussão de assuntos políticos é de 71% dos entrevistados, enquanto 28% discordam. Quanto maior o nível de escolaridade, maior a aprovação. Entre os que têm nível superior, 83% são favoráveis; entre os que têm ensino médio, 72%; entre os que têm ensino fundamental, 62% são a favor.
Ao contrário do ensino sexual, a discussão política nas escolas vence entre todos os recortes feitos pela pesquisa: por idade, renda, religião ou preferência partidária.

(Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados)


11 comentários

  1. antonio carlos
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 15:44 hs

    KKK a professorada quer ensinar o que foi ensinada a ensinar. Não sabem fazer outra coisa do que alienar a alunada, alienada como ela, a professorada. Viver em regime ditatorial dá nisto, as pessoas ficam alienadas e sofrem quando precisam se desalienar. A petezada tem muito ainda o que chorar.

  2. Rafael de Lala
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 15:53 hs

    Desde que li a materia, fiquei preocupado.
    Primeiro, não conhecemos a metodologia da pesquisa…
    Segundo, os temas em referência não são básicos para a educação dos jovens ainda em formação – de primeiro grau escolar.
    Por isso cabe serem abordados apenas no grau intermediario – o segundo grau – e mesmo assim de forma transversal (na linguagem dos “educatecas”).
    Pq necessitamos, prioritariamente, elevar o conhecimento dos estudantes desses ciclos iniciais em disciplinas basicas, à maneira de Portugal, que avançou nos resultados do teste PISA/OCDE após se concentrar em cadeiras tais – como aliás proposto nas novas Bases Curriculares.
    Rafael de Lala, jornalista – Centro de Estudos Brasileiros do Paraná

  3. NEWTON FROES GONCALVES DA SILV
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 16:50 hs

    Se formos ouvir o DATAFOLHA, o POSTE 2 seria o presidente do Brasil, o POSTE 1 senadora da República, e demais membros da corja.
    Não vejo confiança em um Jornal que há muito deixou a imparcialidade. Fui assinante durante anos.

  4. antonio carlos
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 17:09 hs

    KKK esta pesquisa deve ter sido feita pelo sindicato pelego da professorada, mas até entendo esta gente, não vai ser moleza ter que reaprender tudo de novo. E se desalienar da ideologia pestista, ou se despetizar como se diz agora.

  5. Dionleno Silva
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 20:09 hs

    Essas canhotas desocupadas ao invés de perder tempo com essa babaquice de “ensinar” política nas escolas, porque não se preocupam com a verdadeira educação das crianças diminuindo assim a vergonha que está hoje.

  6. Manipulação
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 21:17 hs

    A maioria do povo brasileiro não é contrário à educação sexual e dicussão política dentro da sala de aula.

    O que o povo não quer é criança discutindo identidade de gênero e professor doutrinando em sala de aula.

    Claramente uma tática desonesta da Folha de São Paulo para tentar manipular dados.

  7. Rogerio
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 10:23 hs

    E ainda existe alguém que confia em pesquisa desta data foia . kkkkkkkk

  8. ESTAMOS DE OLHO
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 11:15 hs

    EU NAO LEIO A FALHA DE SAO PAULO A TEMPOS E INSTITUTO
    DATA FODA SE NAO TEM CREDIBILIDADE ALGUMA ,SEU JORNA
    LISMO E PORCO E DE ESQUERDA QUERENDO MANIPULAR O
    POVO.

  9. quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 12:19 hs

    Em se tratando de PESQUISAS quando eu vejo que é DATAFOLHA nem perco tempo lendo. Do que se tratava a pesquisa mesmo?????

  10. QUESTIONADOR
    quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 12:51 hs

    -Para início de conversa, pesquisas não tem mais tanta credibilidade para serem aceitas como verdades absolutas.
    -Professores perderam o bonde da história…muitos poucos ensinam o que é realmente importante…outros apenas doutrinação ideológica na visão distorcida deles mesmos.
    -Professor é para ensinar as matérias sem doutrinação e sem ponto de vista. Apenas ensinar o que é lhes pago para fazerem….fora isso…não tem discussão. Aluno vai para escola para aprender, fora isso não há desculpa!!!

  11. quarta-feira, 9 de janeiro de 2019 – 17:08 hs

    Eita dor de cotovelo,hahaha.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*