O "Princípio de Gleisi" | Fábio Campana

O “Princípio de Gleisi”

do Ricardo Noblat

Quem mais poderia antecipar-se ao desfecho do caso que por enquanto se arrasta e já defender a formação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar se o senador eleito Flávio Bolsonaro prevaricou ou não?

Ora, só poderia ser ela, Gleisi Hoffmann, presidente do PT, que à falta de votos para se reeleger senadora preferiu garantir uma vaga na Câmara dos Deputados.

Confira mais uma baboseira dita por ela enquanto seu partido mal consegue articular ideias para sobreviver:

– Esta questão do Flávio Bolsonaro é algo anterior à sua posse no Senado, não é um crime que cometeu enquanto senador. Mas é muito grave o que está acontecendo. Precisamos investigar isso. Se o Judiciário, o Ministério Público não der conta, nós queremos conversar com parlamentares, com outros partidos, a instalação de uma CPI. Não podemos deixar a população sem retorno.

Gleisi admite que, se houve crime, ele teria sido cometido antes de Flávio ter sido eleito senador. A ser assim, caberia à primeira instância da justiça julgá-lo. O Senado nada teria a ver com isso, o que por si só remeteria para o lixo a proposta de uma CPI.

Mas ela persevera na ideia de uma CPI porque o Ministério Público poderia não dar conta. Como não daria? Ela não explica. O que ela quer dizer? Dar conta para ela significaria oferecer denúncia contra Flávio? Se não oferecer é por que não deu conta?

Gleisi descarta a hipótese de que Flávio possa ser inocente. Parece só estar disposta a aceitar um resultado – a denúncia de Flávio, seguida de sua condenação. Do contrário… Ameaça com a criação de uma CPI embora saiba que não terá votos suficientes para isso.

É o “Princípio de Gleisi”, ou do PT, como se viu no caso do impeachment de Dilma e da condenação do encarcerado de Curitiba. O PT valeu-se de todas as regras do jogo para vencer as duas paradas. Como perdeu, quis melar o resultado. Perdeu outra vez.


8 comentários

  1. Rr
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 10:12 hs

    Fala aí fulaninha,e as orgías nos alpês suíços,como você pagava por elas,dinheiro do seu trabalho é que não era,ptralha não trabalha,então explica aí.

  2. segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 11:06 hs

    É infelizmente esse partido e seus políticos nunca se preocuparam e agora muito menos ainda ,com o nosso BRASIL e o nosso povo , mas de uma coisa eu me orgulho de nunca ter votado neles e mais eles nunca me enganaram.

  3. Volmer
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 11:26 hs

    A melhor maneira de tratar essa sra é ignoramos seus comentários. Aliás não deveriam nem serem publicados. Não devemos dar a mínima atenção

  4. Aprigio Fonseca
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 12:38 hs

    O RR tem alguem muito próximo ou da sua família,Feminina como a Gleise que deve ter participado delas e contado para esse imbecil.

  5. Jorge
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 13:17 hs

    Gleisi continua sua missão filantrópica: destruir o PT. que tenha sucesso.

  6. Sonia
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 14:51 hs

    Lava a boca para falar de Gleice Hoffmann, traste! Você faz parte da quadrilha Queiroz/Bolsonaro?

  7. antonio carlos
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 15:48 hs

    A Crazy assim fazendo corre sério risco de por outras pessoas na mesma panela, ela mesma pode ser uma das investigadas, de acusadora pode passar a ré. Mas então vamos em frente, mas sem demagogia barata, só procurando a verdade. Será que a Crazy aguenta a verdade?

  8. BinLaden
    segunda-feira, 28 de janeiro de 2019 – 20:38 hs

    Sonia, faço parte da quadrilha Bolsonaro, mas se ele estiver errado quero que pague e não sou tapado como você que, após tanta roubalheira do QUADRILHÃO liderado pelo LULARÁPIO , #LULA ESTÁ PRESO SUA BABACA…e sua admiradora e tão corrupta quanto, dona CRAZY

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*