O encanto do PT por ditaduras | Fábio Campana

O encanto do PT por ditaduras

A deputada Gleisi Hoffmann, presidente do PT, desembarca, hoje, em Caracas para a posse pela segunda vez de Nicolás Maduro como presidente da Venezuela.
Manda a Constituição venezuelana que Maduro preste juramento perante a Assembleia Nacional, o Congresso de lá, mas ele o fará diante do Tribunal Supremo de Justiça. Por quê? Porque Maduro controla o tribunal e não reconhece a Assembleia eleita 2015 cuja maioria se opõe ao governo. O tribunal despojou a Assembleia de suas funções depois de meses de protestos que deixaram 150 mortos.
Existe uma outra assembleia, eleita sem a participação dos partidos de oposição. Assim como existe no exílio um outro Tribunal Supremo de Justiça ignorado pelo governo de Maduro.
A posse de Maduro, em breve, implicará num rompimento de relações com os Estados Unidos, a Comunidade Econômica Europeia e a maioria dos países da América Latina dispostos a não reconhecer o seu governo.

No momento, só apoiam Maduro as ditadura chinesa, cubana e nicaraguense, os governos autocráticos da Turquia e da Rússia, e o governos da Bolívia e do México, esse último com um pé atrás.

A Venezuela está quebrada. Em dois anos, segundo o Fundo Monetário Internacional, a inflação, ali, bateu na casa de 1.800.000%. Cerca de três milhões de venezuelanos já deixaram o país onde tudo falta.

Nada disso parece abalar a convicção do PT de que o governo Maduro é democrático, e que a situação calamitosa da Venezuela se deve a um complô internacional contra o país liderado pelos Estados Unidos.

O fetiche do PT por ditaduras permanece vivo, uma prova a mais de que tão cedo o partido será capaz de rever as posições que o levaram ao desastre eleitoral do ano passado.

(Foto: Lula Marques/AGPT/Fotos Públicas)


5 comentários

  1. quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 – 12:43 hs

    Só vai pra “Posse”? Se gosta tanto, é tão bom o regime político lá e se no Brasil vai piorar bastante (como ele vive arrotando por aí) porque ela não fica por lá? Para nós seria uma limpeza no Brasil…

  2. demo carata
    quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 – 13:32 hs

    Essa é a atitude mais ultrajante e ofensiva ao povo brasileiro. E digo à TODOS os brasileiros, sejam gays, lesbicas, afins, negros, brancos, amarelos, indígenas, migrantes e todos que vuvem no solo brasileiro.
    Uma coisa é ter sua opinão, outra é avançar para ofender seu próprio país fora.
    Lembrando que as ofensas que ela proferir em face do Brasil e do Presidente da República não estão amparadas pela imunidade parlamentar.
    Espero que a PGR se atente às ofensas praticadas lá na Venezuela e tome as devidas providências, assim como as proferidas pelo Faustão. O Povo se acostumou a “falar o que quer” sem limites e respeitos aos direitos dos outros. Não existe direito de ofender, ainda mais uma nação. Ela não foi em missão internaci8nal oficial. Logo não representa o Brasil. Está sem imunidade de opinião ou palavras contra o Bolsonaro.

  3. LUIZ DO LITORAL
    quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 – 14:33 hs

    GRAÇAS A DEUS, esta corja de vagabundos não esta mais no poder.
    Bando de ratos de esgoto, lixo do Brasil.
    Esta pilantra ainda ira fazer companhia pro verme que acabou com o Brasil.

  4. quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 – 15:37 hs

    TA AMARRADO,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  5. Tarzan
    quinta-feira, 10 de janeiro de 2019 – 17:02 hs

    gleisi por favor, nunca mais volte pro Brasil, teu lugar é com os corruptos do lado de lá também! Não queremos uma fruta estragada contaminando a Câmara dos Deputados.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*