Núcleo Bolsonaro quer enquadrar rápido o vice | Fábio Campana

Núcleo Bolsonaro quer enquadrar rápido o vice

Os mais ansiosos no núcleo familiar do governo acham que Jair Bolsonaro tem de agir rápido e enquadrar o general Hamilton Mourão, que anda falando demais na opinião do próprio presidente, afirma a Coluna do Estadão. Os mais prudentes, porém, acham que isso só deve ser feito quando o ex-capitão estiver recuperado de sua mais recente cirurgia, com o risco de recaída ou de novas complicações médicas completamente afastado. Para esse grupo, não convém brigar com o vice enquanto houver qualquer possibilidade de ele assumir a Presidência por longo período.
A turma da prudência sabe do que está falando. Nos dois casos mais recentes de vices enquadrados por presidentes, Itamar Franco e Michel Temer levaram a melhor sobre Fernando Collor e Dilma Rousseff.

(Foto: Gustavo Lima/Zeca Ribeiro/Agência Brasil)


7 comentários

  1. milton
    quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 – 16:06 hs

    Estadão fake news! Estão criando intrigas aonde não há! Midia RIP!

  2. Renato braga
    quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 – 16:12 hs

    Não acredito partindo de uma mídia podre…

  3. Ein Sof
    quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 – 16:51 hs

    Engraçado que tudo que é contra o Bozonaro é rotulado de fake news.
    Estes debiloides parecem até petistas!

  4. quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 – 19:30 hs

    É só ver a VOTAÇÃO Maciça que Jair Bolsonaro teve pra saber que a Oposição, Gleisi, Falha de SP, Jean Uillys só querem Tumultuar

  5. Gustavo Reis
    quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 – 21:32 hs

    Faz bem em enquadrar o general de pijama.
    Quando abre a boca faz mais estrago que um gorila solto numa loja de louça.

  6. Aprigio Fonseca
    quinta-feira, 31 de janeiro de 2019 – 21:53 hs

    Isso é como mexerico de área de serviço,é um governo tão mediocre que ainda se pegam a tapas,são uns lordes ingleses.

  7. QUESTIONADOR
    sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019 – 10:33 hs

    -A prudência se faz necessária!!!
    -Mas acabou confirmando minhas suspeitas: general nunca vai obedecer capitão na hierarquia militar!!!! Mesmo o capitão sendo presidente da República!!!
    -E tem mais: muitas generais em cargos chaves do governo federal pode ter suas consequências:
    1)O Presidente está”escorado” pelo meio militar, como forma de pressão subliminar nas demais esferas(legislativa e judiciária);
    2)Ao mesmo tempo que está “escorado”, estão lhe fazendo sombra. General não tem traquejo para vida pública civil. General apenas se relaciona no grupo de militares(generalato ou no máximo oficialato), diferente do Presidente, que teve uma longa convivência com políticos e civis.
    -Não estamos discutindo o patriotismo dos militares, que é absolutamente enorme e a honestidade demonstrada durante suas carreiras….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*