Malandro amador | Fábio Campana

Malandro amador

Guilherme Boulos: “O silêncio de Sérgio Moro diante do agravamento do caso Flávio Bolsonaro não é apenas constrangedor. É um fato político grave. O Ministério que dirige é responsável pelo Coaf. Deve explicações sobre as estranhas movimentações do filho do chefe”.
Augusto Nunes: “Guilherme Boulos, chefão do MTST, no Twitter, rezando para que o ministro Sergio Moro abandone o combate às organizações que criminosamente assassinam o direito de propriedade com invasões de imóveis para cuidar de “movimentações financeiras atípicas” ocorridas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro”.


4 comentários

  1. Aprigio Fonseca
    segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 – 14:28 hs

    Esse Nunes é um canalha mesmo,roubo agora virou movimentações atípicas,não da vontade mandar tomar no ..c.. um cara desse.

  2. Veredicto
    segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 – 15:23 hs

    Este pilantra não passa de um idiota, que dever ter sido abortado e quando saiu da senhora mãe dele, bateu com a cabeça no piso do quarto, ou da latrina onde estavam, e deu no que deu: um imbecil de carteirinha vermelha.

  3. antonio carlos
    segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 – 18:47 hs

    O líder dos trabalhadores sem trabalho e sem teto quer que o ministro da Justiça entre em seara alheia, o cara não tem nada a ver com o assunto, não é coisa que lhe diga respeito, mas porque perder a oportunidade de fazer demagogia?

  4. Diego
    segunda-feira, 21 de janeiro de 2019 – 21:29 hs

    Via de regra, quanto mais sujo o sujeito de esquerda, mais cara de pau ele é.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*