Lupa em Flavio Bolsonaro | Fábio Campana

Lupa em Flavio Bolsonaro

A imprensa está puxando o fio do novelo e todo dia aparece uma novidade. As descobertas da terça-feira são essas:
– A mãe e a mulher do capitão Adriano Magalhães da Nóbrega, apontado como homem-forte do Escritório do Crime, organização suspeita de matar a vereadora Marielle Franco, trabalharam no gabinete do de Flávio Bolsonaro até novembro do ano passado – ambas tinham o cargo CCDAL-5 e recebiam salários de R$ 6.490,35;
– Fabrício Queiroz, aquele, indicou a mãe de Adriano, Raimunda Veras Magalhães, e a mulher, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, para cargos no gabinete de Flávio;
– Raimunda, de 68 anos, é uma das servidoras que fizeram repasses para a conta de Queiroz;
– Dois dos treze alvos da Operação Intocáveis, deflagrada hoje no Rio, foram homenageados na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro por indicação de Flávio Bolsonaro.


4 comentários

  1. Aprigio Fonseca
    terça-feira, 22 de janeiro de 2019 – 17:45 hs

    E saber que os irmãos do Lula e os filhos jamais foram nomeados pra coisa alguma e agora toda essa bandidagem no governo

  2. luiz
    terça-feira, 22 de janeiro de 2019 – 18:25 hs

    PQP

  3. o contestador
    quarta-feira, 23 de janeiro de 2019 – 10:43 hs

    sempre o aprigio ss,defensor de bandidos,nao foram
    nomeados mas um dos filhos era zelador do butantam
    e depois que o lula foi eleito,num passe de magica virou
    um dos donos da telefonica OI,isto sim e esquisito,ai pode
    vai a merda cara.

  4. Juca
    quarta-feira, 23 de janeiro de 2019 – 11:50 hs

    Esse Sérgio Silvestre, o Calça Frouxa ou bunda tatuada está atacando outra vez de Aprigio Fonseca.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*