Insegurança em Itabira | Fábio Campana

Insegurança em Itabira

O Rio? É doce.
A Vale? Amarga.
Ai, antes fosse
Mais leve a carga.
Entre estatais
E multinacionais,
Quantos ais!
A dívida interna.
A dívida externa.
A dívida eterna.
Quantas toneladas de exportações
De ferro?
Quantas lágrimas disfarçadas
Sem berro?

(Lira itabirana, Carlos Drummond de Andrade)

O rompimento da barragem de Brumadinho trouxe insegurança para moradores de Itabira, onde a empresa tem grandes empreendimentos. A barragem de Itabiruçu, que tem capacidade para receber volume 18 vezes maior de rejeitos do que a barragem destruída na sexta-feira, passa por um processo de alteamento para ampliar a área de recebimento de rejeitos. Itabira é a cidade natal do poeta Carlos Drummond de Andrade, que tratou do tema em poema em 1984.
Em novembro, durante audiência pública, a Vale apresentou o plano de aumentar para 850 metros a altura da barragem, que tem 835 metros. Segundo a mineradora, Itabiruçu tem capacidade para receber mais de 220 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Em Brumadinho, a barragem que se rompeu tinha capacidade para 12 milhões de metros cúbicos.
Vários moradores cobram do prefeito o cancelamento do projeto de ampliação da Barragem Itabiruçu.
O prefeito de Itabira, Ronaldo Magalhães, afirma que na próxima semana pedirá um diagnóstico sobre a situação das barragens da cidade.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*