Esquerda ainda não sabe se apoiará Freixo para presidência da Câmara | Fábio Campana

Esquerda ainda não sabe se apoiará Freixo para presidência da Câmara

O PSOL lançou candidatura de Marcelo Freixo à presidência da Câmara com um discurso de unidade das esquerdas contra a aliança entre o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o PSL. Na prática, porém, esta unidade está longe de ser alcançada.
PT, PSB, PDT e PCdoB discutem internamente como encarar o dilema entre apoiar Maia e garantir presença na Mesa Diretora e nas principais comissões da Câmara dos Deputados, mas, ao mesmo tempo, arcar com o ônus de se aliar a um candidato próximo de Bolsonaro.
O PT, que tem a maior bancada da Casa, com 56 eleitos, está dividido. Enquanto a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, e aliados falam que não existe hipótese de apoiar um candidato aliado ao partido de Bolsonaro, parlamentares influentes dizem que as conversas com Maia não estão encerradas. “Nosso objetivo é fazer valer o critério da proporcionalidade e participar da Mesa e das principais comissões”, disse o deputado Carlos Zaratini (PT-SP). “Ainda faltam 27 dias. É muito tempo. Até lá vamos conversar com todo mundo”, afirmou o petista.

O partido pretende explorar a contradição entre ser oposição e apoiar um aliado do governo para tentar formar um bloco com PSB, PDT, PCdoB e PSOL e não ficar totalmente isolado.

Freixo e o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, procuraram os presidentes dos demais partidos em busca de apoio. “Não é uma candidatura para marcar posição. É uma candidatura para iniciar o processo de demarcação de um campo político”, disse Freixo, deputado estadual pelo Rio de Janeiro e que vai cumprir seu primeiro mandado na Câmara dos Deputados.

O presidente do PSOL articula uma reunião do fórum de presidentes dos demais partidos. Legendas como PSB e PDT estão consultando seus parlamentares, mas a tendência é manter o apoio a Maia.

(Foto: Mídia Ninja/Reprodução)


2 comentários

  1. antonio carlos
    sexta-feira, 4 de janeiro de 2019 – 16:56 hs

    KKK até agora a esquerda não conseguiu se recuperar da pancada que tomo. E nem vai. Enquanto o pestismo insistir em ainda se achar o gás da Coca a esquerda vai ficar como está, tonta e perdida, a procura de um rumo.

  2. Ludovico
    terça-feira, 8 de janeiro de 2019 – 16:09 hs

    Viu só freixo. Não se pode confiar em esquerdista. Só se unem para defender algo se levarem algum incentivo bem vantajoso. O resto e massa de manobra para desviar a atenção.
    Quando mais precisa deles, te viram as costas. Usaram sua amiga como bandeira enquanto deu certo, depois te abandonaram. Melhor alguns politicos inteligentes que militam na esquerda repensarem. Os ideais não se perdem, mas o partido não pode ser obstáculo para defender o interesse da população em geral. Sai desse barco!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*