Brasil bate recorde de mortes violentas | Fábio Campana

Brasil bate recorde de mortes violentas

O Brasil bateu recorde de mortes violentas em 2017, com 63.880 casos. No mesmo ano, as mortes cometidas por policiais em serviço e de folga cresceram 20% na comparação com 2016. A compilação destes dados faz parte da 29ª edição do Relatório Mundial de Direitos Humanos, divulgado hoje pela organização não governamental Human Rights Watch (HRW), que analisa a situação de mais de 90 países.

O Relatório Mundial de Direitos Humanos traz, no capítulo sobre o Brasil, dados sobre violações relacionadas à liberdade de expressão, com restrição ao trabalho da imprensa, sobretudo, durante as eleições presidenciais, com a intimidação de mais de 140 repórteres.

Aborda também os mais de 1,2 milhão de casos de violência doméstica pendentes nos tribunais; a possibilidade de retorno das terapias de conversão para mudar a orientação sexual ou a identidade de gênero de um indivíduo; os mais de 1.246 casos de trabalho análogo à escravidão registrados entre janeiro e outubro de 2018; o aumento do uso de agrotóxicos no campo; e o enfrentamento dos abusos cometidos durante a ditadura militar no Brasil.


3 comentários

  1. Rr
    quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 – 19:52 hs

    E para evitar que o povo de bem morra nas mãos dos bandidos,a polícia tem que dobrar esse percentual.

  2. Alexandre
    quinta-feira, 17 de janeiro de 2019 – 23:00 hs

    Parece que a nossa mídia não se atualiza e como dizia o saudoso e visionário Alborguetti, bandido bom é bandido morto.
    A população quer informações da mídia que quadruplicou o número de bandidos mortos em confronto.
    Sr. Fábio, não dê mais espaço para esse tipo de noticia, os seus leitores agradecem.
    Abs

  3. Valdi
    sexta-feira, 18 de janeiro de 2019 – 14:21 hs

    Sr Presidente Bolsonaro,sr tem que fazer uma lei onde,quem APONTAR ou ATIRAR contra o POLICIAL poderar ser abatido, se os marginais nao tem respeito a POLICIA ao ESTADO então que tenha medo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*