Só na Cemig, 700 indicados recebem em média R$ 38 mil | Fábio Campana

Só na Cemig, 700 indicados recebem em média R$ 38 mil

Uma notícia de Minas Gerais, trazida pela coluna Radar: A varredura que a equipe de transição do governador eleito Romeu Zema vem realizando na administração de Minas encontrou 700 cargos comissionados na Cemig com salário médio de R$ 38 mil. “Esses funcionários, que não fizeram concurso público, custam ao estado R$ 500 milhões”, diz o vereador Mateus Simões (Novo), responsável pela transição. “A ideia é cortar as indicações num percentual superior a 80% já no início da administração”, afirma Simões.
Segundo o vereador, foram contabilizados 13.500 cargos de chefia no estado nomeados pelo atual governador, Fernando Pimentel (PT). “Para piorar, cerca de 25% são ocupados por pessoas que não fizeram concurso público. Ou seja, são nomeações políticas”, diz.

Não custa lembrar que Minas está entre os estados com sérias dificuldades para pagar o 13º dos servidores.


2 comentários

  1. antonio carlos
    quinta-feira, 6 de dezembro de 2018 – 15:08 hs

    Estes 700 podem ser os primeiros que abrem a lista das demissões publicadas no DO mineiro de 1º de janeiro. Assim o governador mostra que está mesmo a fim de por ordem na casa, moralizar e economizar, tudo numa cacetada só.

  2. Renato R.
    quinta-feira, 6 de dezembro de 2018 – 16:08 hs

    Infelizmente os maiores poderosos em termos de autoridade de alto escalão são deste estado, que tem em sua cultura uma bondade, uma receptividade e um coração enorme, característica esta muito bem explorada por aqueles mal intencionados.
    Basta verificar quantos politicos e ministros dos tribunais superiores são de Minas e em que momento se envolveram em escândalos. Parece mentira, mas com um bom papo eles sempre se entendem. Minas e Rio vivem seu pior momento.. e não é de hoje. São consequências de um passado não tão remoto assim.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*