Ratinho Jr quer parceria da Itaipu para retomar integração de oceanos | Fábio Campana

Ratinho Jr quer parceria da Itaipu para retomar integração de oceanos

O governador eleito do Paraná, Ratinho Júnior, levou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro, em reunião nesta terça-feira (4), a proposta de retomada de um projeto de integração dos oceanos Atlântico e Pacífico. A ligação ferroviária e rodoviária entre os portos de Paranaguá (Paraná) e Antofagasta (norte do Chile) seria feita com recursos da Itaipu Binacional.

“O presidente eleito gostou muito da ideia e determinou para, já em janeiro, elaborarmos um grupo de trabalho sobre isso. Contaremos com a parceria da Itaipu, bancando o projeto executivo e apoiando este sonho antigo dos paranaenses”, disse Ratinho Júnior, nesta quinta-feira (6), antes da abertura do Encontro Paranaense de Gestores Municipais, no Hotel Recando Cataratas, em Foz do Iguaçu.

O encontro reúne, até sexta-feira (7), prefeitos (as), vice-prefeitos (as), secretários (as), servidores (as) municipais e vereadores (as) para debater as melhorias na qualificação da gestão municipal. A governadora do Paraná, Cida Borghetti; o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Marcos Stamm, entre outras autoridades participaram da abertura do evento.

O projeto de ligação entre os dois oceanos será tratado novamente na próxima reunião entre Itaipu e o chamado G7 – grupo de entidades empresariais paranaenses que representam o conjunto das forças econômicas do Estado, na próxima segunda-feira (10), na sede do Sebrae-PR, em Curitiba. Ratinho Júnior, que participará do encontro, reafirmou a importância da Itaipu no desenvolvimento do Estado. “Já é tradição a parceria com Itaipu e será importante podermos continuar contando com a empresa”, afirmou.

No final do mês passado, Itaipu assinou com o G7 um compromisso que prevê uma série de iniciativas e ações para o desenvolvimento econômico, social e ambiental do Paraná, contemplando seus diferentes territórios e cadeias produtivas.

Ligação entre oceanos

Os primeiros projetos de ligação entre os dois oceanos são da década de 80. A rede de ferrovias e rodovias integrariam os mais de 3 mil quilômetros que separam os portos brasileiro de Paranaguá, no Oceano Atlântico, e o chileno de Antofagasta no Oceano Pacífico. A ligação viária e ferroviária vai ajudar a desenvolver o agronegócio brasileiro, criando uma nova rota de exportação de produtos para a China.

“É uma obra de infraestrutura que vai atender todo o Brasil e o Paraná será o grande beneficiado”, complementou Ratinho. “Com esta ligação, nós seríamos o centro de escoamento de produtos da região, fazendo do Paraná uma área estratégica”.

Encontro dos gestores

A participação da Itaipu no encontro dos gestores serviu para reafirmar o compromisso da empresa com os governos municipais e estadual. Segundo Cida Borghetti, Itaipu é fundamental para o desenvolvimento de políticas públicas em todo o Estado. “Em várias áreas, Itaipu tem sido um braço forte de apoio aos projetos que promovem a melhoria da qualidade de vida da população”, disse a governadora, na abertura do encontro.

“Há uma convergência muito grande das ações da Itaipu com o governo do Estado e os municípios”, complementou Marcos Stamm, citando o Programa de Educação Continuada, um convênio assinado entre Itaipu, PTI e a Associação dos Municípios do Paraná (AMP), no mês julho, para qualificação de gestores municipais nas áreas de gestão, educação e saúde.

O programa é voltado ao desenvolvimento de competências dos gestores e técnicos dos 399 municípios paranaenses cobertos pela AMP. O investimento previsto é de R$ 5 milhões e a meta é capacitar aproximadamente 11 mil pessoas até março de 2020. Na área de educação, por exemplo, são promovidos 11 cursos de capacitação. O encerramento destes cursos foi durante o encontro de gestores.


6 comentários

  1. Luiz Flavio
    sexta-feira, 7 de dezembro de 2018 – 8:08 hs

    Nem iniciou o mandato e já está delirando, criando factóides para se manter na mídia. Em 2022 vamos ter a resposta a esse delírio.

  2. Marcos Souza
    sexta-feira, 7 de dezembro de 2018 – 9:58 hs

    em um País capitalista e auto suficiente no quesito produção, concordo com o Governador Ratinho Júnior que temos que criar novos mecanismos de escoamento de produção para auxiliar o nosso estado a conquistar o lugar de merecimento no mercado mundial, aos pessimistas e críticos de plantão, seria mais digno dar o voto de confiança.

  3. Gaudério do Piquiriguaçu
    sexta-feira, 7 de dezembro de 2018 – 12:18 hs

    Quem disse que o Brasil vai continuar exportando “impunemente” para a China Vermelha? A Nova Ordem está amarrando sua carrocinha à locomotiva do Trump. Pra que, então, integração bioceânica?

  4. antonio carlos
    sexta-feira, 7 de dezembro de 2018 – 12:24 hs

    O cara nem assumiu e já está se achando o gás da Coca. Se liga cara, não consegue fazer nada além de promessas? Que governador você vai ser, o das promessas? Estamos cansados de governadores bem intencionados, precisamos de um governador realizador, que faça mais do que promete e fala. Porque não começa construindo a nova descida da Serra do Mar, se forçar a Rumo faz a obra. E estudos já tem, é só começar. Se optar pela piração já começa dando tiro no pé.

  5. sexta-feira, 7 de dezembro de 2018 – 13:10 hs

    Antonio Carlos, sem querer defender ninguém mas uma nova ferrovia na Serra do mar tem entraves do IAP e tantos outros evocados. Dinheiro aparece, mas as licenças ambientais não. Mesmo com novas tecnologias de construção , onde o desmate é mínimo, o conservadorismo, e mesmo amadorismo, são fatores determinantes na condução de órgão ambientais no PR.

  6. Terere
    segunda-feira, 14 de janeiro de 2019 – 1:41 hs

    Sonhar é bom…mas é so sonho….coisa de jacu do interior..
    Uma ferrovia dessas teria que ter acordo com paraguai…argentina ou bolivia e chile…impossivel !!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*