Procuradores não abrem mão do auxílio moradia | Fábio Campana

Procuradores não abrem
mão do auxílio moradia

O Ministério Público Federal agora luta para manter a regalia do auxílio-moradia, cuja extinção foi prometida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em troca do aumento salarial de 16,3% sancionado pelo presidente Michel Temer. A procuradora-geral Raquel Dodge recorreu nesta sexta-feira (30) da decisão do ministro Luiz Fux, que revogou o auxílio-moradia de todas as carreiras jurídicas.

Dodge pediu a Fux que reconsidere a decisão ou submeta o tema ao plenário do STF, e pede que a decisão não atinja os integrantes do Ministério Público.

“Sem adentrar propriamente no mérito, na legalidade ou na constitucionalidade do recebimento de auxílio-moradia, fato é que esta ação restringe-se ao pagamento ou não do benefício em causa para os juízes, nos termos da legislação que rege a magistratura judicial brasileira, limitando-se o julgado àquelas carreiras”, argumentou Raquel Dodge.

Segundo a procuradora, a decisão de Fux “extrapolou os limites” ao ampliar os efeitos da decisão a todas as carreiras jurídicas.

Dodge afirmou ainda que o recurso visa garantir o devido processo legal e ampla defesa, já que o Ministério Público “não pode ser prejudicado” sem ter se manifestado no processo.


7 comentários

  1. bs
    sábado, 1 de dezembro de 2018 – 13:32 hs

    Essa classe abastada não esta nem ai para o País, Dane-se o povo o importante é o próprio umbigo.

  2. Palpiteiro
    sábado, 1 de dezembro de 2018 – 14:40 hs

    A cara de pau dessa turma não tem limites. Já não chegam todas as garantias e aposentadoria integral.

  3. Pé Vermeio
    sábado, 1 de dezembro de 2018 – 22:47 hs

    E povo brasileiro também tem direito a auxílio moradia.

    Meu DEUS, quanta hipocrisia,

  4. Loise
    domingo, 2 de dezembro de 2018 – 10:43 hs

    Vergonha na cara. Auxílio moradia com casa na comarca é a mesma coisa que roubar a Petrobras, os correios, Furnas, etc… Vão encarar assim mesmo?!!!

  5. segunda-feira, 3 de dezembro de 2018 – 11:17 hs

    Sem contar o auxílio-celular, auxílio-diárias, auxílio-substituição de ofício, auxílio-transporte ( motorista oficial), auxílio-mudança, auxílio férias 2 vezes por ano, auxílio-recesso judiciário, auxílio-cursos, auxílio do auxílio.
    Socorro!!!

  6. Juca
    segunda-feira, 3 de dezembro de 2018 – 11:50 hs

    E o auxilio funeral como fica?

  7. ????
    segunda-feira, 3 de dezembro de 2018 – 15:36 hs

    Como sou educado, sangue azur, vou falar nas entrelinhas: vão tomar café

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*