O plano de Queiroz | Fábio Campana

O plano de Queiroz

Ricardo Noblat,
É um clássico. À espera de proteção, Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado Flávio Bolsonaro, só irá depor ao Ministério Público do Rio de Janeiro depois que a família mais poderosa da República subir a rampa do Palácio do Planalto no próximo dia 1º.
Ele precisa explicar entre outras coisas como movimentou em um ano pouco mais de 1 milhão de reais em sua conta bancária sem dispor de renda pessoal para tanto. E por que um cheque seu de R$ 24 mil foi parar na conta de Michelle Bolsonaro, a futura primeira dama.
Por duas vezes, Queiroz faltou ao encontro marcado com os procuradores. Alegou problemas de saúde. Está a cuidado de médicos, embora não se saiba aonde, nem desde quando.

(Foto: Google/Reprodução)


3 comentários

  1. bs
    terça-feira, 25 de dezembro de 2018 – 1:10 hs

    É tudo farinha do mesmo saco.

  2. joão
    terça-feira, 25 de dezembro de 2018 – 18:43 hs

    Muito sensacionalismo em torno disso! Os 24 mil não eram 24, como explicou o Capitão, eram 40 mil, foi por dívida entre duas pessoas, pouco importa quem são, existe liberdade no país para tanto! Sobre o Queiroz ter movimentado 1.2 milhão, outro dado falso, o Coaf disse que entrou 600 mil e saiu 600 mil, o resto é fantasia da esquerda criminosa! Não digo que não houve crime, no minimo crime fiscal, mas também tampouco posso dizer que houve crime! Só acho que deve explicar ao MP em data a ser marcada novamente, o resto e mimimi!

  3. SERGIO SILVESTRE
    quarta-feira, 26 de dezembro de 2018 – 16:16 hs

    Cala a boca Joãu,se nem sabe o que está falando ,tanto que o sujeito miliciano fugiu.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*