O homem que recusou ser ministro do STF | Fábio Campana

O homem que recusou ser ministro do STF

Ricardo Noblat,
Por três vezes pelo menos, o advogado Luiz Carlos Sigmaringa Seixas, conhecido como Sig, recusou convite do seu amigo Luiz Inácio Lula da Silva para ser ministro do Supremo Tribunal Federal.
A primeira foi quando Lula mal havia assumido a presidência da República em 2003. Perguntei-lhe o motivo da recusa. Sig respondeu: “Ora, eu não tinha preparo suficiente para ser ministro”.
Mas de alguma forma quase todos os ministros nomeados por Lula e Dilma para o Supremo devem sua indicação a Sig, embora não somente a ele. Sig foi uma espécie de ministro sem toga.
Passou pela vida fazendo amigos e aproximando os divergentes. Entrou e saiu da política depois de três mandatos como deputado federal sem que nada tivesse maculado sua biografia.
Foi ao mesmo tempo um exemplo de firmeza na defesa de suas convicções e de tolerância com eventuais adversários. Fará muita falta.

(Foto: Beto Barata/Estadão Conteúdo/Reprodução)


2 comentários

  1. antonio carlos
    quarta-feira, 26 de dezembro de 2018 – 14:38 hs

    O que dizer de uma pessoa que recusou três vezes o convite para fazer parte dos onze da suprema corte? Que era uma pessoa honesta, não quis manchar a própria história. Vai deixar saudades

  2. SERGIO SILVESTRE
    quarta-feira, 26 de dezembro de 2018 – 16:02 hs

    Sigmaringa,profissão,advogado dos bons,jamais politico da linha de produção.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*