'Minas é hoje como um indigente' | Fábio Campana

‘Minas é hoje como um indigente’

Coordenador da equipe de transição do governo de Minas Gerais, o vereador Mateus Simões (Novo) fez um diagnóstico duro sobre a situação que espera o governador eleito Romeu Zema. “Nas conclusões, apresentamos ao novo governo uma triste realidade: 15 anos de empobrecimento do Estado, de comprometimento da capacidade de investimento e de evidente irresponsabilidade fiscal, que levaram a um cenário de caos econômico, com um déficit que pode chegar a R$ 30 bilhões em 2019 e que, se nada for feito, alcançará R$ 100 bi em quatro anos. Aliás, nesse mesmo período, a folha de pagamento de ativos e inativos alcançará a marca de 100% de toda a arrecadação tributária”, afirma Simões. As informações são de Marcelo de Moraes no BR-18.

“Minas é hoje como um indigente, que vive de esmolas sem ter certeza de que terá como comer a noite se pagar a conta do almoço. Não é uma discussão sobre opção ideológica ou visão econômica. A essa altura, é mera questão de sobrevivência. O Estado terá de se ajustar à necessária realidade de contenção de gastos e reformas estruturais”, avalia Mateus.


Um comentário

  1. BinLaden
    terça-feira, 18 de dezembro de 2018 – 14:29 hs

    E porque não votam leis para punir esses vagabundos?
    Simplesmente constatar de nada adianta.
    Porque não tomam os bens desses VAGABAS LARÁPIOS?
    Ainda o AÉCIO foi o deputado mais votado.
    Bem feito para MInas.
    Pena que agora o governo federal vai subsidiar o estado e esse dinheiro quem paga? Nós, o povo brasileiro trouxa…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*