Eduardo Pimentel e os sindicalistas | Fábio Campana

Eduardo Pimentel e os sindicalistas

Eduardo Pimentel, na condição de prefeito interino de Curitiba, conversou com representantes dos cobradores de ônibus da cidade.
O grupo saiu satisfeito da reunião, certo de que terá, pelo menos, a compreensão da prefeitura, ou da vice, em suas reivindicações. E o mais importante: ninguém saiu da sala assombrado com a possibilidade de desemprego.

 

 


6 comentários

  1. Dosel Jr.
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 10:42 hs

    Já falei aqui q

  2. Dosel Jr.
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 10:44 hs

    Já falei aqui que rapaz tem o DNA do ex- Governador Paulo Pimentel: tem jogo de cintura, sabe dialogar com diferentes camadas sociais e acima de tudo, respeita os direitos conquistados. Desde que estes direitos tenham sido conquistados democraticamente…. lógico.

  3. glorioso
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 11:19 hs

    Dosel vc é ridículo e puxa saco. Essa reunião não tem nada a ver com direitos adquiridos. Trata-se de uma reunião para tratar da proposta para passar o transporte da cidade para o sistema de bilhetagem, o que acarretaria 5.000 cobradores demitidos. Mas vc não está preocupado com isso não é?
    Com essa proposta a prefeitura demonstra que não está nem aí para o povo,pois, justifica que a medida vai evitar assaltosnos ônibus,mas, sabemos que os assaltos são paraticados para roubar os usuários e não o dinheiro da passagem, prejudicam os usuários e não os empresários,pois, celulares e vidas são levados e a PMC nada faz.

  4. quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 12:14 hs

    COLOQUEM NOS ONIBUS BOTÃO QUE QUANDO ASSALTADO SERÁ IMEDIATAMENTE ACIONADA A POLICIA MILITAR E SUAS VIATURAS,,MAIS PRÁTICO E BARATO QUE CAMERAS,,NÉ

  5. Parreiras Rodrigues
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 13:03 hs

    Esse guri leva jeito. Também, pudera….

  6. Dosel Jr.
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 13:15 hs

    Acredito que este senhor Glorioso não acompanha o desenvolvimento tecnológico por que passa o mundo atualmente. Sabemos que tudo tem um preço para dar lugar ao progresso.Não sou contra o desemprego, mas também sei que ser cobrador de ônibus não é a última coisa que um homem pode fazer. Certamente a Prefeitura já deve estar preocupada com as pessoas portadoras de alguma deficiência que trabalham na função.Dai até dizer que sou puxa saco tem uma grande distancia O que está em jogo, acredito eu, é encontrar uma saída coerente. Se você vai para uma reunião onde será do contra só por ser do contra então não vá. A história dos protestos dos sindicatos mostra que se o governo está no meio de um assunto somos do contra.Apresentar uma solução factível, isto não acontece pois os sindicalistas são treinados para serem do contra. Até mesmo para garantir o salário de sindicalistas sem trabalhar…..nada mais.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*