Críticas ao fim do Ministério do Trabalho | Fábio Campana

Críticas ao fim do Ministério do Trabalho

No mesmo mês em que o Ministério do Trabalho completa 88 anos, Jair Bolsonaro anunciou seu fim: “vai ser incorporado a algum ministério“, disse ele.
Num momento em que os índices apontam para mais de 13 milhões de desempregados, a declaração não pegou bem e especialistas, sindicatos e membros da Justiça do Trabalho, passaram a elaborar documentos para combater a decisão.

(Foto: Google/Reprodução)


3 comentários

  1. Carlos
    sexta-feira, 9 de novembro de 2018 – 18:15 hs

    Ou seja: apesar do Ministério do Trabalho, com suas centenas de comissionados, o desemprego está alto. Prova de que não precisamos de mais este cabide de empregos!

  2. bs
    sábado, 10 de novembro de 2018 – 17:21 hs

    Deve ser um cabide de emprego, com um monte de comissionados.

  3. johan
    sábado, 10 de novembro de 2018 – 17:37 hs

    Caro FÁBIO, a decisão do presidente Bolsonaro em incorporar o Ministério do Trabalho em qualquer outro ministério está corretíssima, haja visto os dois grandes escândalos patrocinado pelo ministro e assessores do ministério, onde foi um antro de corrupção, com venda de outorga de criação de sindicatos – milhares, e o outro caso a total ausência de sentimento e criatividade, para solucionar o elevado índice de desempregados, mais de 15,0 milhões. Apenas isso já seria o suficiente para exonerar e colocar na prisão os dirigentes, por total incompetência. Atenciosamente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*