Araupel e MST acordam retirada de madeira de área ocupada | Fábio Campana

Araupel e MST acordam retirada de madeira de área ocupada

Por intermédio do Estado, representantes do MST e da madeireira Araupel selaram acordo para que a retirada da madeira do imóvel ocupado pelos sem terra no acampamento Dom Tomás Balduíno em Quedas do Iguaçu. A proposta foi firmada durante reunião na Câmara de Vereadores, no final de outubro, entre representantes do MST, da empresa Araupel e do assessor especial de Assuntos Fundiários do Estado, Hamilton Serighelli.

“O termo é resultado de oito meses de negociações e é de extrema importância para que haja uma relação pacífica entre os trabalhadores sem terra e os funcionários da empresa. O acordo está consolidado e a empresa já está começando a trabalhar no imóvel”, disse Serighelli.

Ele explicou que no lado de Quedas do Iguaçu já houve muito conflito entre os trabalhadores sem terra e a empresa. Há dois anos o Governo do Estado também mediou outro acordo, para que a Araupel fizesse a extração das florestas de pinus e eucalipto na Fazenda Pinhal Ralo, em Rio Bonito do Iguaçu.

SOLUÇÃO – Com o acordo, a Araupel poderá fazer a extração de madeira, no denominado projeto 4, que é parte do imóvel do Rio das Cobras, num prazo de cinco meses (podendo ser estendido por novo acordo).

A empresa também deve fornecer material para a construção de uma guarita na entrada que dá acesso ao acampamento, na qual permanecerão um grupo de representantes do MST. Além disso, ficou estabelecido que a Araupel manterá em bom estado a estrada de acesso ao acampamento até a guarita e fornecerá o combustível para que os trabalhadores possam se deslocar do acampamento até a guarita.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*