A guerra surda na Assembleia | Fábio Campana

A guerra surda na Assembleia


Certeza, certeza mesmo, só no dia 1º de fevereiro, quando a Assembleia Legislativa elegerá os novos membros dirigentes da Casa. Ademar Traiano, atual presidente, jura que o governador eleito Ratinho Jr assumiu compromisso de apoiá-lo na reeleição. Ora, pois, acontece que Traiano já não depende unicamente desse apoio. Sua sorte está pendente dos trâmites da Operação Quadro Negro e de outras delações. E não falta quem queira substitui-lo. O mais aplicado no assunto é Luiz Claudio Romanelli, que quer a presidência, mas se contentará com a primeira-secretaria.

Ratinho Jr tem seu próprio candidato, que pode ser Guto Silva, cotadíssimo para a Casa Civil

Por fora, em disparada, pesos pesados entram na disputa. Fernando Francischini, do alto de seus 400 e tantos mil votos e uma bancada pessoal com 11 membros, quer a presidência. E, se possível, também a 1ª secretaria para o seu time.

Quem não quer?


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*