A estratégia de Bolsonaro | Fábio Campana

A estratégia de Bolsonaro

BR18

Alvo de tantas comparações com Donald Trump, Jair Bolsonaro adota uma estratégia já usada pelo presidente americano. Quando precisa lidar com alguma questão complexa, costuma anunciar uma medida radical, que acaba provocando gritaria imediata. Em seguida, recua e “cede” para o que pretendia fazer desde o início. Mas como não adotou a medida radical original, os opositores acham que obtiveram algum tipo de vantagem.

Foi assim, por exemplo, com as propostas de extinção dos ministérios do Meio Ambiente e do Trabalho. Depois do recuo da extinção, Bolsonaro pode nomear quem bem entender que não vai parecer uma decisão tão ruim quanto seria a extinção.


3 comentários

  1. incitatus
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 10:31 hs

    KKK mas a sorte do capitão é que falta pouco para ele tomar posse, porque esta tática do engana-que-eu-gosto tem vida curta. Até os mais radicais dos aloprados esquerdopatas já sacaram esta jogada de marketing político.

  2. Luiz Pacheco
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 11:18 hs

    Na faculdade s administração aprendi que esta técnica de negociação se chama “colocar um bode na sala”. Trump ê mestre nisto.

  3. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 14 de novembro de 2018 – 11:49 hs

    Algumas revistas semanais e alguns jornalões (antes valentões e briguentos) estão preocupados com os cortes de verbas e jabaculês e já amansaram suas manchetes e editoriais. É visível que eles estão se borrando com a ameaça do fim da propaganda oficial que financia seus lucros. Quem tem… tem medo…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*