Viatura que matou 4 mulheres não deveria estar na canaleta, diz laudo | Fábio Campana

Viatura que matou 4 mulheres não deveria estar na canaleta, diz laudo

da Banda B

A Polícia Civil divulgou nesta segunda-feira (22), o laudo do Instituto de Criminalística sobre o acidente que matou quatro mulheres na Linha Verde, no dia 31 de julho. De acordo com o laudo, a viatura da Polícia Militar, que atropelou as vítimas no ponto de ônibus, estava a 138 quilômetros por hora antes da batida. Duas mulheres morreram no local e as outras duas no hospital. Os dois policiais militares estão afastados do trabalho nas ruas.

De acordo com o laudo da Criminalística, quando a viatura bateu contra o meio-fio, reduziu a velocidade para 89 quilômetros por hora e, ao invadir a calçada e atingir as mulheres, estava a 74 quilômetros por hora. Só parou quando atingiu outro carro.

A Polícia Civil também informou que os PMs não estavam atendendo a nenhuma ocorrência quando a batida aconteceu. Também ficou comprovado que a sirene do carro não estava ligada, como determina a lei em casos de circulação de viaturas dentro da canaleta exclusiva por ônibus e apenas durante atendimento.

O policial que dirigia o carro deve ser indiciado por homicídio com dolo eventual, quando assume o risco de matar, e o passageiro por falso testemunho, já que disse em depoimento que a equipe atendia a uma ocorrência quando houve a batida.

Nota PM
Em nota, a Polícia Militar informa que o agente que conduzia a viatura no incidente foi retirado de suas funções normais, prestando serviços administrativos, e o passageiro está completamente afastado da PM. A corporação ainda destaca que não emite ‘juízo de valor’ sobre as conclusões do inquérito e que não compactua com desvios de conduta de seus integrantes.


4 comentários

  1. Dra. Laurinha
    terça-feira, 23 de outubro de 2018 – 9:07 hs

    As pessoas que devem dar exemplo, são as fazem besteiras e não seguem Leis, PM não usa cinto de segurança, trafegam na canaleta de ônibus, correm sem a sirene ligada, furam sinal, estacionam em cima da calçada ou praça no horário de almoço para ficar na frente do buffet ou panificadora com rango na faixa … Depois querem respeito e ser “Otoridade” e punir o cidadão!!

  2. troll
    terça-feira, 23 de outubro de 2018 – 10:00 hs

    E como é que fica o comandante destes PMs imbecis que, no dia seguinte a tragédia saiu em defesa dos mesmos? Tem que perder o comando que ocupa, defende mais a corporação do que a sociedade. A PM não é lugar para PMs imbecis e corporativistas.

  3. Osnir
    terça-feira, 23 de outubro de 2018 – 10:52 hs

    Lamentável foi um acidente, portanto resta nos aguardar o desfecho, embora que logo cai no esquecimento e tudo isso acaba favorecendo os responsáveis. Bom se fosse um deputado, com certeza não cairia no esquecimento, a própria mídia teria interesse em estar sempre lembrando, cobrando por justiça.

  4. Tia Amélia
    terça-feira, 23 de outubro de 2018 – 17:59 hs

    Quero saber se o pessoal dos Direitos Humanos estão auxiliando a família das vítimas?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*