PF indicia Temer | Fábio Campana

PF indicia Temer

Que bonito, o brasil-brasileiro. A gente não consegue passar uma semana sem um novo absurdo estampado nas manchetes. A bola da vez é Michel Temer, o presidente da bananeira, que está até o telhado de enroscos com a Justiça.
A nova vergonha nacional trata de atos praticados durante o mandato, diferente dos que acumula.
O relatório da PF foi apresentado ao STF com denúncia contra Temer e mais dez por corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O inquérito em questão versa sobre empresas que pagaram propina em troca de um decreto sobre portos – que ampliou de 25 para 35 anos as concessões do setor, prorrogáveis por até 70 anos – assinado pelo presidente.
Rodrigo Rocha Loures está na panela, junto com os empresários Antônio Celso Grecco, Ricardo Mesquita e Gonçalo Torrealba, além do coronel João Baptista Lima Filho, amigo pessoal de Temer, e da esposa do militar, Maria Rita Fratezi, do sócio do coronel, Carlos Alberto Costa, e do filho dele, Carlos Alberto Costa Filho, do contador Almir Martins Ferreira e da filha de Temer, Maristela de Toledo Temer Lulia.

Veja,
Além dos indiciamentos, os investigadores solicitaram que os bens deles sejam bloqueados. A Polícia Federal também pediu a prisão preventiva do coronel Lima e de sua mulher, de Carlos Alberto Costa e do contador. Por ordem do ministro Luís Roberto Barroso, relator do inquérito dos portos no STF, todos os quatro estão proibidos de deixar o país.

Segundo a Polícia Federal, as investigações envolveram provas como colaborações premiadas, depoimentos, informações bancárias, fiscais, telemáticas e extratos de telefone, laudos periciais e informações do Tribunal de Contas da União (TCU). Os investigadores apuraram ainda o pagamento de propinas em espécie, propinas camufladas como doações eleitorais, pagamentos de despesas pessoais por interpostas pessoas e empresas, além da atuação de companhias de fachada e contratos fictícios de prestação de serviços.

O processo foi agora remetido à procuradoria-geral da República para que o Ministério Público decida se oferece ou não denúncia contra os suspeitos. Conforme revelou VEJA, o coronel Lima é investigado pela Polícia Federal como suspeito de captar dinheiro clandestinamente em nome do presidente Michel Temer. Em março, VEJA teve acesso a uma mensagem do empresário Celso Grecco em que ele confirma que foi, de fato, beneficiado com a edição do decreto dos portos – versão sempre desmentida pelo presidente Temer. Em e-mail enviado a funcionários e advogados da empresa em 16 de maio de 2017, seis dias depois da edição do texto sobre portos, Grecco comemora: “Consideramos que o novo decreto é valioso no que diz respeito à reivindicação de reequilíbrio econômico do Terminal Pérola”. A Rodrimar é uma das donas do Terminal Pérola, que apresentou um pedido de reequilíbrio contratual ao Ministério dos Transportes.

Em março deste ano, a Polícia Federal havia prendido, entre outros, o empresário Antonio Celso Grecco, dono da Rodrimar, empresa suspeita de distribuir propina a assessores presidenciais em retribuição à edição do decreto. Na ocasião, houve ainda ordem de prisão contra quatro acionistas do Grupo Libra, entre eles Gonçalo Torrealba, indiciado agora pelos investigadores.

(Foto: Evaristo Sá/AFP)


Um comentário

  1. Doutor Prolegômeno
    quarta-feira, 17 de outubro de 2018 – 12:12 hs

    O indiciamento eram favas contadas desde a distribuição ao relator, cujas deferimentos de alongamentos de prazos antecipavam o desfecho e fazem prever suas decisões, sem bola de cristal. No mais, Temer e seu governo de paspalhos revelou-se inepto e incapaz de aproveitar a chance que o destino fez cair no seu colo, embora acossado por duas tentativas de golpe e muitos escândalos em seu redor. Qualquer áugure ou arúspice pode prever que sua velhice será bem tormentosa e quem sabe um carro oficial, com sirenes e grades, possa recepcioná-lo ao pé da rampa em 1º de janeiro de 2019.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*