O mico de Cristiane Brasil e outros filhos da Política | Fábio Campana

O mico de Cristiane Brasil e outros filhos da Política

Cristiane Brasil, em um ano passou de aspirante de ministra à derrotada nas urnas. A filha de Roberto Jefferson, apesar das denúncias em esquema de fraudes no Ministério do Trabalho (local que está proibida pelo STF de entrar) ela ainda conseguiu convencer 10.002 eleitores. Não foi suficiente, em 2019, ela estará sem mandato e sem foro.
Outros filhos de grandes nomes políticos também não conseguiram emplacar, mas para esses a responsabilidade é mais dos pais do que deles próprios. Os filhos de Sergio Cabral, Jorge Picciani, Eduardo Cunha e Beto Richa ficaram fora dos postos que almejavam.
Leonardo Pìciani (MDB), concorria como deputado federal, conseguiu 38.184 votos, é bastante, mas bem diferente de 2014, quando conquistou 180. 741 eleitores.
O filho de Sergio Cabral, Marco Antônio Cabral (MDB) conseguiu 19.572 votos, uma queda de mais de 100 mil votos em quatro anos.
A filha de Eduardo Cunha, Danielle Cunha (MDB), chegou a apenas 13.362 votos. O pai, mesmo preso, moveu o mundo, conseguiu recursos e apoio, mas não adiantou.
Marcello Richa (PSDB), carregou o peso do sobrenome e acabou, mesmo com 20.021 votos, não se elegendo deputado estadual.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*