Lerner apresenta novo plano urbano de União da Vitória | Fábio Campana

Lerner apresenta novo plano urbano de União da Vitória

Uma equipe do Instituto Jaime Lerner apresentou nesta quarta-feira, 17, durante encontro com lideranças e empresários, a segunda etapa das diretrizes básicas estruturação urbana de União da Vitória. As propostas versam sobre os eixos de mobilidade urbana, novo sistema viário e de trânsito, transporte público, gestão e projetos estratégicos.

“Esta segunda etapa já são as propostas preliminares que podem nortear o desenvolvimento de União da Vitória. As contribuições apontam para o aperfeiçoamento das potencialidades, especialmente os relativos a uma visão estratégica, à estruturação urbana, à mobilidade e a projetos estratégicos, que refletem a configuração pretendida para a cidade”, disse o arquiteto Fernando Canalli, da equipe de Lerner.

O prefeito Santin Roveda afirmou que a equipe de Lerner já esteve em União da Vitória, na primeira etapa do plano, para análise de situação, coleta de dados e o mapeamento das possíveis intervenções. “Estamos planejando a cidade para os próximos 30 anos, de forma ordenada, sustentável, destacando sua vocação de crescimento, para atrair novos empreendimentos, novas empresas, garantindo mais empregos, renda e melhor qualidade de vida aos moradores da nossa cidade”, disse Roveda.

Rua da União – Entre as intervenções urbanas está a proposta de implantação da Rua da União sobre os trilhos na divisa de União da Vitória e Porto União, a instalação de novos abrigos de ônibus. Os dois projetos, segundo os arquitetos de Lerner, trazem nova identidade e marca para União da Vitória e consolidam a cidade como polo regional no sul do estado.

Segunda a arquiteta Gianna de Rossi, os projetos estratégicos tratam-se das chamadas “acupunturas urbanas”, como define Jaime Lerner, e são intervenções pontuais na cidade. “São equipamentos especiais do mobiliário urbano. A Rua da União, uma estrutura modular coberta, será um novo local para o encontro e lazer, compartilhado por pedestres e ciclistas no espaço que estabelece a divisa entre o Paraná e Santa Catarina, definido pelo traçado dos trilhos da ferrovia”, disse.

As diretrizes apontam ainda para reestruturação do sistema viário, novas sinalização vertical e horizontal, já prevendo a acessibilidade, calçadas, circulação de veículos, a ampliação das ciclovias, criando uma rede cicloviária ligando o centro com os principais bairros e regiões da cidade.

Crescimento – No conjunto de propostas preliminares, a equipe de Jaime Lerner prevê a ampliação de perímetro urbano, o novo zoneamento da cidade com a criação de novas áreas para indústrias, a implantação de reservatórios de compensação de águas e parques ambientais, entre eles, o Parque do Rio Vermelho.

A expansão urbana, segundo os arquitetos, se dará em regiões com áreas disponíveis para o crescimento da cidade. “São Cristóvão consolida-se como o vetor de crescimento pois, reúne grande quantidade de áreas disponíveis para a ocupação livres do atingimento das águas das cheias com a facilidade de conexão através da construção da Ponte Governador José Richa”, diz a proposta apresentada por Jaime Lerner.

“Desta maneira, ofertam-se algumas novas áreas de ocupação que, se bem conduzidas, servirão para promover a diversidade de tipologias e usos na cidade e para diminuir a pressão por ocupação urbana nas áreas de risco de enchentes”, adianta as diretrizes sobre as áreas possíveis de crescimento urbano.

As propostas preliminares de reestruturação urbana de União da Vitória foram condensadas em relatório de 150 páginas apresentado pelos arquitetos Fernando Canalli, Gianna de Rossi e Lucas Roni de Lacerda. O relatório foi detalhado ainda pelos consultores Fric Kerin, economista e especialista em transporte; e os arquitetos Eloy Kockanny e Anive Soares, especialistas em sistema viário e trânsito.

Os arquitetos e o economista fazem parte da equipe de grandes profissionais liderada por Jaime Lerner, apontado em 2017 melhor arquiteto e urbanista do mundo.


2 comentários

  1. quinta-feira, 18 de outubro de 2018 – 15:13 hs

    Provavelmente deve estar sugerindo “pedágios” a cada 100 m dentro da cidade, de onde deve receber nos próximos 20 anos, quantias, já que a torneira do Estado está por fechar…..

  2. bs
    quinta-feira, 18 de outubro de 2018 – 21:43 hs

    Ainda dão credito para o criador do pedágio ???
    Eta povo que gosta de apanhar

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*