Ibope, votos válidos: Bolsonaro, 54%; Haddad, 46% | Fábio Campana

Ibope, votos válidos:
Bolsonaro, 54%; Haddad, 46%

do G1

O Ibope divulgou neste sábado (27) a última pesquisa do instituto sobre a intenção de voto para o 2º turno da eleição presidencial. Segundo o instituto, Jair Bolsonaro (PSL) venceria se eleição fosse hoje.

A probabilidade de os resultados retratarem a realidade é de noventa e cinco por cento, com margem de erro de dois pontos – para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Jair Bolsonaro (PSL): 54%
Fernando Haddad (PT): 46%

Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 57% e Haddad, 43% dos votos válidos.

Rejeição
A pesquisa também apontou o potencial de voto e rejeição para presidente. O Ibope perguntou: “Para cada um dos candidatos a Presidente da República citados, gostaria que o(a) sr(a) dissesse qual destas frases melhor descreve a sua opinião sobre ele”?

Jair Bolsonaro
Com certeza votaria nele para presidente – 39%
Poderia votar nele para presidente – 10%
Não votaria nele de jeito nenhum – 39%
Não o conhece o suficiente para opinar – 11%
Não sabem ou preferem não opinar – 1%

Fernando Haddad
Com certeza votaria nele para presidente – 33%
Poderia votar nele para presidente – 12%
Não votaria nele de jeito nenhum – 44%
Não o conhece o suficiente para opinar – 10%
Não sabem ou preferem não opinar – 2%

Sobre a pesquisa
Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Entrevistados: 3.010 eleitores. Quando a pesquisa foi feita: 26 a 27 de outubro. Registro no TSE: BR‐ 02934/2018. Nível de confiança: 95%. Contratantes da pesquisa: TV Globo e “O Estado de S.Paulo”. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.


4 comentários

  1. Fabio
    sábado, 27 de outubro de 2018 – 23:02 hs

    Filipe G. Martins

    Nesta thread eu trato de três coisas: da pesquisa do DATAFOLHA; da pesquisa do IBOPE de hoje; e da vitória de Bolsonaro amanhã:

    1. Segundo o Datafolha, Bolsonaro tem 47% dos votos totais enquanto Haddad tem apenas 39%. No levantamento anterior, Bolsonaro tinha 48% e Haddad 38%.

    2. Segundo o Ibope, Bolsonaro tem 47% dos votos totais e Haddad tem 41%. Na pesquisa anterior, Bolsonaro tinha 50% e Haddad, 37%.

    3. A discrepância entre as duas pesquisas, que costumam apresentar números aproximados, é significativa. No Datafolha a oscilação é praticamente nula (mesmo para um período menor) enquanto que no Ibope a oscilação é de 3 pp. negativos para Bolsonaro e 4 pp. positivos para Haddad.

    4. Uma explicação hipotética para essa diferença poderia ser a diferença entre o intervalo das pesquisas do Ibope e o intervalo das pesquisas do Datafolha: 2 dias no caso do Datafolha e 4 no caso do Ibope.

    5. Se essa hipótese estiver correta, isso significa que as movimentações desaceleraram nos últimos 2 dias, oscilando apenas 1 pp. (abaixo da margem de erro) nestes últimos 2 dias, muito abaixo da oscilação observada nos 2 dias anteriores.

    6. Isso significa que, mesmo que esses números retratassem a realidade, tudo o que apontariam seria uma tendência de desaceleração, de modo que Haddad cresceria no máximo meio pp. e chegaria a 38.5% dos votos totais, na pior das hipóteses (para o Brasil).

    7. Nesse cenário, acrescentada a abstenção e sua distribuição ponderada, Haddad teria algo em torno de 39 milhões de votos contra 58 milhões de Bolsonaro, uma vantagem de 19 milhões para o candidato do PSL.

    8. Há outros fatores que devem ser considerados, porém, como o viés das bases amostrais dos dois institutos e os ajustes das frações. Por isso, acredito que o mais provável é que Bolsonaro apareça com algo acima dos 50% dos votos totais (possivelmente 52%) e Haddad com 35%.

    9. Em termos de votos válidos, isso daria 59% para Bolsonaro e 41% para Haddad, podendo variar levemente para mais ou para menos. Utilizando a margem de erro mais comum (2%) poderíamos dizer que Bolsonaro terá algo entre 58 e 62% — sendo 59% o valor mais provável.

    10. Seja como for, é apenas uma questão de quão grande será a vantagem de Bolsonaro e, por isso mesmo, temos pesquisas e notícias sob medida para mobilizar o eleitorado petista e não permitir que a abstenção seja grande o suficiente para evitar uma derrota ainda mais arrasadora.

    11. Fiquem tranquilos. Só não deixem de fazer a parte de vocês. A esquerda está apostando todas as fichas e recursos em diminuir o tamanho da vantagem e criar uma narrativa de “país dividido”, mas Bolsonaro será o próximo presidente do Brasil e a vantagem não será pequena !

  2. Valdir
    sábado, 27 de outubro de 2018 – 23:06 hs

    Vai ser o enterro destes instituto fajutos…

  3. Parreiras Rodrigues
    domingo, 28 de outubro de 2018 – 10:43 hs

    As pesquisas eleitorais deveriam ser proibidas. Principalmente as dos institutos vendidos, como Ibope, Vox, Data. Ou arreglados, como os citados. Ou mentirosos, digamos logo.

  4. Parreiras Rodrigues
    domingo, 28 de outubro de 2018 – 10:47 hs

    As pesquisas eleitorais deveriam ser proibidas. Principalmente as dos institutos vendidos, como Ibope, Vox, Data. Ou arreglados, como os citados. Ou mentirosos, digamos logo.
    Mas, os resultados de ontem prenunciam que o candidato “in pectore” dançou. Estimulando uma “virada” erram a diferença que vai ficar nos 15 – com margem de erro de 2 a 5, mas só para mais.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*