Museu Nacional perde 90% do acervo | Fábio Campana

Museu Nacional perde 90% do acervo

do Estadão

Não havia porta anti-incêndio nem sprinklers. Os detectores de fumaça não funcionaram. A água nos hidrantes não era suficiente. Não havia seguro contra incêndio e o acervo não estava segurado. E as verbas de manutenção caem há anos. Foi assim que se perdeu no incêndio deste domingo 90% do acervo do Museu Nacional, no Rio.

“Sobrou talvez uns 10%”, estimou a vice-diretora do Museu Nacional, Cristiana Serejo. Segundo ela, só a reconstrução do prédio custará R$ 15 milhões. “A gente estava preocupado com incêndios. Tivemos problemas de falta de verba e burocrática”, lamentou. “A culpa é de todos. A gente fica com muita raiva.” Cristiana relatou que não tem informações sobre a principal peça da instituição, o fóssil de Luzia, o mais antigo das Américas. O crânio ficava em uma caixa não localizada.

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil do Rio mantém interditada a construção, por considerar que existe grande risco de desabamento interno. Podem desabar trechos remanescentes de lajes, parte do telhado e paredes divisórias.


2 comentários

  1. É o fim
    segunda-feira, 3 de setembro de 2018 – 22:03 hs

    Jungmann afirmou que sistema prisional brasileiro é recrutador de criminosos.
    AGORA senhores !?

  2. JÁ ERA...
    terça-feira, 4 de setembro de 2018 – 6:49 hs

    Assim como a morte dos pobres brasileiros com a falta de recur-
    sos do governo na saúde, aí vem outra prova lamentável de que nes-
    te país repleto de governantes ladrões continuam investindo mal.
    Esta perda de escala planetária são irrecuperáveis assim como a
    vida de qualquer um. O museu morreu dentro de cada um de nós…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*