Grampo revela que Richa ameaçou "tirar prefeitos" de apoio a Cida | Fábio Campana

Grampo revela que Richa ameaçou “tirar prefeitos” de apoio a Cida

Bem Paraná,
Grampos feitos pela Polícia Federal (PF) em números de telefonde do ex-governador Beto Richa, candidato ao Senado pelo PSDB, preso nesta terça-feira (11) pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Paraná, mostram que o tucano ameaçou “tirar prefeitos” da coligação de apoio à candidatura à reeleição da governadora Cida Borghetti (PP).
Beto Richa foi alvo de duas operações deflagradas simultaneamente nesta terça. Além da operação do Gaeco chamada “Rádio Patrulha”, também foi deflagrada a “Operação Piloto”, 53.ª fase da Lava Jato, que prendeu três integrantes do grupo de Richa (Jorge Atherino, Tiago Correa Rocha e Deonilson Roldo) no governo. Nessa operação, Richa foi grampeado durante uma semana. O tucano teve sete números telefônicos interceptados pela Polícia Federal entre 24 de julho e 1 de agosto.

Em 14 de agosto a PF entregou à Lava Jato um relatório com oito páginas, publicado nesta terça-feira pelo jornalista Fausto Macedo, no Estadão. Além dos números telefônicos de Beto Richa, foram interceptados também os telefones de seu irmão Pepe Richa, de seu ex-chefe de gabinete Deonilson Roldo, de seu suposto ‘operador financeiro’, o empresário Jorge Theodócio Atherino, do ex-operador financeiro Luiz Abi Antoun, do ex-secretário de Estado Ezequias Moreira Rodrigues e do empresário Pedro Rache de Andrade.

Segundo a PF, dois números de Beto Richa estavam ativos. O relatório transcreveu três conversas do ex-governador: duas com Ezequias e uma com Deonilson.

Em ligação de 29 de julho, que durou cerca de cinco minutos, Beto Richa conversou com Ezequias. Naquela ocasião, o tucano tentava manter sob competência da Justiça Eleitoral o inquérito dos repasses milionários da Odebrecht. Ele também lidava com declarações do deputado Ricardo Barros (PP), marido e principal articulador da campanha de Cida Borghetti, que ameaçava tirar o tucano da chapa. Junto com Alex Canziani (PTB), Richa é candidato ao Senado na chapa de Cida. Com o PSDB, a governadora tem, além de maior tempo de TV e rádio no programa eleitoral, apoio de diversos prefeitos até então fieis ao ex-governador.


6 comentários

  1. Petrus
    terça-feira, 11 de setembro de 2018 – 19:33 hs

    Não é por essa gravação que Beto foi preso! Até porque, tirar apoio se não estiver na coligação, é o normal da política!

  2. Petrus
    terça-feira, 11 de setembro de 2018 – 19:39 hs

    Chamar um ao outro de FDP então, é quase que uma obrigação no meio político!
    Beto foi preso por algo muito mais grave!!

  3. JÁ ERA...
    quarta-feira, 12 de setembro de 2018 – 7:42 hs

    O Richa e sua tropa desceu o morro com tudo que tem direito.
    Político sério não existe… é como tentar garimpar um diamante
    de oitocentos quilates…

  4. RONEY CORSI
    quarta-feira, 12 de setembro de 2018 – 7:43 hs

    TUDO FARINHA DO MESMO SACO.,.,.POLITICO E CORRUPTOS SÃO SINÕNIMOS..E ESTE CONGRESSO TÁ INFESTADO..E MESMO COM O VOTO NÃO VAI MUDAR..O QUE VAI DAR DE VOTO EM BRANCO E NULO VAI SER BRINCADEIRA E UM PAÍS RICO COMO ESTE SENDO DEPREDADO…E ROUBADO

  5. Lucas Tomitão
    quarta-feira, 12 de setembro de 2018 – 9:10 hs

    Até parece que o Beto precisa ou precisava se esforçar para tirar (os poucos) prefeitos que abraçaram a campanha da Cida (sob pressão / ameaça de perder algum convênio, por parte de Ricardo Barros). Ratinho Jr contabiliza 220 prefeitos, ontem a Cida reuniu mais de 200 (segundo ela). Agora ficamos mais perdidos. O Paraná não tem 399 municípios? Esqueçam. Beto não precisav tirar prefeitos do apoio à Cida, essa bobeira é só detalhe perto do fato. O fato é que Ratinho Jr será eleito no primeiro turno, e ponto final.

  6. liberdade total
    quarta-feira, 12 de setembro de 2018 – 10:15 hs

    CIDA ERA VICE DO BETO RICHA E SE COLIGOU COM O PARTIDO DO BETO RICHA.. CIDA É CANDIDATA APOIADA POR BETO RICHA

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*