Ciro Gomes: "Falo palavrão em legítima defesa" | Fábio Campana

Ciro Gomes: “Falo palavrão em legítima defesa”

Ciro Gomes participou da série de entrevistas que o Jornal da Globo está a fazer com os candidatos à Presidência da República. Aproveitou a oportunidade para esclarecer que fala palavrões em legítima defesa e que não tem sangue de barata sobre ter xingado e empurrado de leve um homem que fez uma pergunta durante entrevista em um evento de campanha, no último sábado em Roraima. Afirmou que o homem não é jornalista e que ficou sabendo que o senador Romero Jucá tinha pago um “sujeito” para provocá-lo. “Ele se aproximou e colocou um adesivo do Bolsonaro aqui no meu peito”.
Ao ser questionado sobre ter xingado um ouvinte de uma rádio de “burro” na campanha de 2002, Ciro falou que não podem chamá-lo de incompetente e ladrão e ficam lembrando dessa história de 16 anos atrás. “Eu chamei alguém de burro e tem gente burra mesmo”.

(Foto: Reuters)


2 comentários

  1. Roberto Pesserl
    quarta-feira, 19 de setembro de 2018 – 10:52 hs

    Burro é aquele que prestigia um Coroné das antigas que se considera machão. Por definição, “Machão é aquele que não consegue….., então frustrado reage violentamente contra aquele(a) que o suporta” . Tem que ser ignorado olimpicamente, ele e sua família toda, que vivem às custas do sofrido povo do Ceará, a semelhança com os Sarneys. Essa raspa se acha, mas não vale nada, não valem o que comem. Perguntem a Patrícia Pillar, por que o deixou. Mas nas “aparências” tudo certo. Por baixo dos panos é mais violento que qualquer preso. Um mentecapto narcisista, rodeado por uma súcia de analfabetos. Isso que ser presidente de uma Nação? Nunca!

  2. Roberto Pesserl
    quarta-feira, 19 de setembro de 2018 – 10:57 hs

    Velho boquirroto sem educação básica e respeito pelos semelhantes.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*