A conversa de Richa e Ezequias | Fábio Campana

A conversa de Richa e Ezequias

A conversa é de 29 de julho, durou cerca de cinco minutos, estava grampeada pela Polícia Federal. Richa tentava manter sob competência da Justiça Eleitoral o inquérito dos repasses milionários da Odebrecht. Ele também lidava com declarações do deputado Ricardo Barros, articulador da campanha de Cida Borghetti, que ameaçava tirar o tucano da chapa.
Depois de uma conversinha amistosa, Ezequias perguntou: “Parou a crise será?”
RICHA: Nada.
EZEQUIAS: Não?
RICHA: Um filho da puta muito grande.
EZEQUIAS: Não, cuidado com palavra aqui. Essas porra tão… Eu falei com, liguei inclusive pra governadora, entendeu?
[…]
EZEQUIAS: Falei [com o Glauco]: gente, vocês estão maluco, a perda maior é de vocês, porra.
RICHA: Claro que é. Eu tiro todos os prefeitos. Vou fazer um artigo dizendo, a manchete é ‘Fui traído’.
EZEQUIAS: Não, mas vocês, fizeram certo ontem. Colocaram teu nome na ata ontem né. Isso é importante.
RICHA: Não, diz que não.
EZEQUIAS: Não?
RICHA: Não sei. Que horas que você soube disso?.
EZEQUIAS: Não. Eu falei pra você que era pra colocar. Mas o Rafael também vai entrar nessa?
RICHA: Ele não é da executiva.


Um comentário

  1. Si fu playboy
    terça-feira, 11 de setembro de 2018 – 20:07 hs

    Contra fatos não ha argumentos, ladrão corrupto

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*