TSE nega pedido de Lula para ter tempo de campanha na TV | Fábio Campana

TSE nega pedido de Lula para ter tempo de campanha na TV

Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negou, na noite desta terça-feira, um pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que queria que emissoras de televisão dessem ao petista o mesmo tratamento concedido aos demais candidatos à Presidência da República. Os canais de TV questionados pelo petista eram TV Globo, TV Ômega Ltda., Bandeirantes, Record e SBT. As informações são d’O Globo.

O petista está preso em Curitiba e já foi condenado em segunda instância. A Lei da Ficha Limpa não permite candidaturas nessas situações. Apesar disso, o PT insiste na candidatura do ex-presidente, que tem sido representado por Fernando Haddad, registrado no TSE como vice de Lula. Apenas o ministro Napoleão Nunes Maia divergiu do entendimento da maioria.

Relator do pedido do petista, o ministro Sérgio Banhos disse ser “flagrantemente inviável” conceder ao petista um tratamento isonômico na programação das emissoras em relação aos demais candidatos já que, “por estar impossibilitado de fazer campanha, não tem agenda a ser divulgada”.

Na petição protocolada por advogados de Lula e da coligação “O Povo Feliz de Novo”, que inclui PT, PCdoB e PROS, a defesa alegou que alguns canais de TV “omitem de sua programação comum a existência da campanha de Lula”.

Vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros defendeu a liberdade de imprensa e ressaltou a liberdade de atuação que candidatos no pleito de 2018 podem ter, mas disse que a decisão sobre o que deve ser notícia cabe ao veículo de comunicação. Ele afirmou que Lula está preso, e portanto há motivos de sobra para que as emissoras não noticiem a campanha do petista. Além disso, ressaltou que o juiz maior das escolhas feitas pelos veículos de comunicação é “Sua Majestade, o público”.

— Ao ver do Ministério Público, este, definitivamente, não se trata de um caso de abuso, na medida em que há causas suficientes para justificar que os veículos não considerem noticioso o comportamento habitual de um candidato que está excluído do convívio da sociedade — disse Medeiros.


11 comentários

  1. PIMENTA PURA
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 7:10 hs

    Quem é este energumeno que votou a favor da propaganda eleito-
    ral do Lula !? É um grande imbecil mesmo !!!

  2. LUIZ DO LITORAL
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 8:02 hs

    Seria cômico se tivessem aceitado o pedido desse marginal.
    Esse ladrão vagabundo tem que permanecer encarcerado mas não basta isso, tem que devolver o dinheiro roubado dos cofres públicos mas pior ainda é saber que tem gente que acredita na inocência desse verme. PRESIDIÁRIO.

  3. quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 8:42 hs

    Bah,kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

  4. quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 8:45 hs

    ESSE SERÁ O PAPEL DO LULA, FOMENTAR NOTICIAS!!!
    SÓ ISSO,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  5. Dosel Jr.
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 9:44 hs

    Atenção editores de política dos meios de comunicação social: atentem para o último parágrafo desta notícia. Se querem prestar algum serviço a Nação aí está a oportunidade.

  6. LUIZ DO LITORAL
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 11:20 hs

    Usar o “exército de Stédile”, esse bando de vagabundos que vivem as custas do dinheiro do trabalhador mostra total desespero do ora ENCANADO Lula
    O PRESIDIÁRIO LULA continua fazendo ameaças “veladas” e incitar até mesmo o que poderia ser uma guerra civil no país. Em ato supostamente a favor da Petrobras, e na prática a favor da quadrilha instalada na estatal, Lula atacou a imprensa, repetiu que estão tentando “criminalizar” o PT, voltou a mencionar que a elite não suportaria a ascensão social dos mais pobres, e ainda citou o MST como braço armado pronto para enfrentar esses “inimigos”:
    Nossa querida Dilma tem que levantar a cabeça e dizer: eu ganhei as eleições. E governar o país. Não pode ficar dando trela senão ficamos paralisados – disse Lula, queixando-se principalmente do que ele chamou de condenação antecipada da imprensa e da oposição. – Nós ganhamos a eleição e parecemos envergonhados. Eles perderam e andam por aí, pomposos.
    Minutos depois de ouvir um apelo do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, para que Lula volte às ruas para liderar manifestações em defesa da Petrobras, o ex-presidente cobrou dos militantes do PT e dos sindicatos uma reação.
    – Em vez de ficarmos chorando, vamos defender o que é nosso. Defender a Petrobras é defender a democracia e defender a democracia é defender a continuidade do desenvolvimento social nesse país – afirmou, aplaudido. – Quero paz e democracia, mas também sabemos brigar. Sobretudo quando o Stedile colocar o exército dele nas ruas.
    Que exército é esse de Stédile? A que ponto chegamos? Um ex-presidente da República chama de exército um grupo de invasores criminosos liderados por um sujeito que, em qualquer país sério do mundo, estaria cumprindo pena atrás das grades por todos os seus crimes. O escárnio com as leis do país, vindo de um ex-presidente, é uma afronta ao estado de direito. Então quer dizer que Lula assume o que todos já sabiam, que o MST é uma espécie de exército paralelo? E fica por isso mesmo? Eis o vídeo:
    Há anos que os críticos do MST apontam a localização estratégica dos “assentamentos” e a convocação de um “exército” de bandidos prontos a atuar em prol da “revolução marxista” dos piratas disfarçados de “movimento social”. Agora, aquilo que era sabido, mas falado por poucos, vem à tona dito de forma direta e escancarada pelo próprio líder do motim. Lula enxerga no MST um exército pronto para lutar por seus interesses, ou seja, pela perpetuação no poder ainda que de forma ilegítima e ilegal.
    É o discurso de um trombadinha, de um delinquente, de um marginal. Mas de alguém bastante desesperado também. E essa tem sido a marca dos petistas. Estão com medo, com muito medo de perderem suas tetas estatais e de pararem na cadeia. Os “soldados” da CUT, outro exército informal do PT, também parecem prontos para lutar, não em defesa da Petrobras, pois isso exigiria cobrar mais investigações e tirar os bandidos da estatal, tudo o que querem evitar, mas sim pela manutenção da camarilha no poder.
    Os “militantes” se transformam cada vez mais em milicianos, como na admirada Venezuela, que agora mata até adolescentes nos protestos contra o governo. Os encrenqueiros do PT e da CUT resolveram partir para a grosseria e a violência contra aqueles que gritavam “Fora Dilma” e pediam o impeachment da presidente. É a linguagem do PT, não de hoje, mas de sempre. O uso ou a ameaça do uso de violência para substituir a falta de argumentos.
    “A tentativa de intimidação é uma confissão de impotência intelectual”, disse Ayn Rand. O PT é impotente do ponto de vista intelectual. Restava-lhe o populismo e a demagogia, e agora que o custo de tanta incompetência, trapalhada e roubalheira está aparecendo, a reação do partido é o pânico que leva a tais ameaças.
    Enquanto os petistas e os sindicalistas violentos faziam ato “em defesa da Petrobras”, a estatal sofria o rebaixamento da nota de investimento pela agência de risco Moody’s. Que irônico! A presidente Dilma, sem ter o que dizer, preferiu culpar o mensageiro e alegar que há desconhecimento por parte da agência. Sem dúvida. Se houvesse mais conhecimento, a empresa já teria sido rebaixada faz tempo! A Operação Lava-Jato tem trazido parte da sujeira à luz, mas ainda é pouco perto do que os petistas fizeram com a estatal, e ainda existem várias outras estatais por aí…
    Os governistas estão perdendo as estribeiras. Estão acuados, e ratos acuados se tornam perigosos, violentos. Temem o império das leis, as investigações dos órgãos estatais, a insatisfação crescente da população, cansada do pior índice de inflação dos últimos 12 anos, da recessão, da bagunça nas contas públicas, do caos no transporte, na saúde, na educação. Os caminhoneiros resolveram parar várias cidades, reclamando do aumento do combustível e da queda no frete. O clima é de desencanto, que pode rapidamente levar ao desespero.
    Cientes disso, os petistas sabem que não será possível contar com os truques do marqueteiro João Santana para sempre. O estelionato eleitoral está claro para todos. O discurso da presidente Dilma, de tentar culpar FHC pelo que se passa na Petrobras, pegou muito mal, e nem os “intelectuais” endossaram tamanha baboseira. O PT já ensaia até uma nova tentativa de reaproximação do PMDB, como medida preventiva.
    Por qualquer ângulo que observamos, o que podemos notar é o desespero dos petistas. E não é para menos! Eles destruíram o Brasil nos últimos anos, e a conta apenas começou a chegar. A fala de Lula sobre o “exército de Stédile” talvez seja o mais claro sintoma desse medo. É um apelo baixo, uma jogada de quem se vê cada vez mais contra a parede. Mas o Brasil não vai temer esse “exército” de criminosos. O Brasil não é a Venezuela de Maduro, e isso aqui não é a casa da mãe Joana. Se o MST tomar as ruas, o legítimo Exército Nacional estará lá para impor a ordem e a lei. Disso não tenho dúvidas…

  7. carmem
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 11:58 hs

    Toma vergonha PT, ficam fazendo essas palhaçadas, envergonhando o Brasil só para manter o PT em evidência, para conseguir uns votinhos para seus candidatos a Senado, Deputado Federal e Estadual.
    O Lula esta preso condenado em segunda instância, ele é Ficha Suja.
    A lei da Ficha Limpa não permite.
    Chega de circo está cansando tanta vergonha

  8. CAÇADOR DE VERMES PETISTAS
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 13:05 hs

    O PRESIDIÁRIO LULA, aquele que zombava da República de Curitiba e que se achava um Deus, hj não passa de um verme chorão e rastejante com o discurso de um trombadinha, de um delinquente, de um marginal, de alguém bastante desesperado. E essa tem sido a marca dos petistas. Estão com medo, com muito medo de perderem suas tetas estatais e de pararem na cadeia. Os “soldados” da CUT, outro exército informal do PT, também parecem prontos para lutar, não em defesa da Petrobras, pois isso exigiria cobrar mais investigações e tirar os bandidos da estatal, tudo o que querem evitar, mas sim pela manutenção da camarilha no poder.

    Os “militantes” se transformam cada vez mais em milicianos, como na admirada Venezuela, que agora mata até adolescentes nos protestos contra o governo. Os encrenqueiros do PT e da CUT resolveram partir para a grosseria e a violência contra aqueles que gritavam “Fora Dilma” e pediam o impeachment da presidente. É a linguagem do PT, não de hoje, mas de sempre. O uso ou a ameaça do uso de violência para substituir a falta de argumentos.

    “A choradeira e a intimidação sempre fez parte do jogo desses porcos comunistas e que não passa de uma confissão de impotência intelectual”, disse Ayn Rand. O PT é impotente do ponto de vista intelectual. Restava-lhe o populismo e a demagogia, e agora que o custo de tanta incompetência, trapalhada e roubalheira está aparecendo, a reação do partido é o pânico que leva a tais ameaças.

    Chora Presidiário Lula, chora Petezada das trevas pois o fim desta maldita quadrilha que arrebentou com os sonhos de milhões de brasileiros esta chegando ao fim.

  9. SERGIO SILVESTRE
    quarta-feira, 29 de agosto de 2018 – 18:30 hs

    Napoleão é sempre Napoleão, o resto é conversa. O único que não compactua com a injustiça!

  10. LUIZ DO LITORAL
    quinta-feira, 30 de agosto de 2018 – 10:53 hs

    SERGIO SILVESTRE

    Vc e os demais imbecis que defendem e protegem esse PRESIDIÁRIO LADRÃO, precisam ser interditados. Loucos, doentes ou falta de caráter mesmo.

  11. SERGIO SILVESTRE
    quinta-feira, 30 de agosto de 2018 – 11:59 hs

    O Humano é um ser sombrio,letal,invejoso depredador e cruel,é só imaginar esse planeta se não tivesse aqui surgido o Lula.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*