Ministério Público Eleitoral pede que TSE rejeite candidatura de Lula | Fábio Campana

Ministério Público Eleitoral pede que TSE rejeite candidatura de Lula

O vice-procurador geral eleitoral, Humberto Jacques de Medeiros, pediu que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeite o registro da candidatura do ex-presidente Lula (PT). De acordo com o parecer apresentado nesta segunda (20), Medeiros pede que o TSE reconheça a “causa da inelegibilidade”. As informações são do Diário do Poder.

O petista está preso desde 7 de abril após ter sido condenado em segunda instância a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A condenação por órgão colegiado enquadra Lula nos critérios da Lei da Ficha Limpa e embasaram o parecer do MPE. “Com efeito, o candidato está inelegível”, disse Medeiros.

O entendimento do vice-procurador geral eleitoral foi incluído em quatro ações que pedem a impugnação do registro da candidatura de Lula, em análise pelo ministro Luís Roberto Barroso.


3 comentários

  1. Fausto Thomaz
    terça-feira, 21 de agosto de 2018 – 11:00 hs

    Não sei porque tanta discussão em torno desse assunto…o cara ta preso porra, não tem que ser candidato pra merda nenhuma.

  2. luiz do litoral
    terça-feira, 21 de agosto de 2018 – 12:25 hs

    Mais que correto.
    Parte dos brasileiros, (a massa falida e dominada pelo PRESIDIÁRIO LULA DA SILVA), aquela que não valoriza o seu voto, os menos esclarecidos que desconhecem o perigo que este bandido representa a nossa DEMOCRACIA, que não consegue enxergar que foi este filho da puta que gerou a maior crise econômica já vista em seus 8 anos de desgoverno e depois enfiou no rabo dos brasileiros a incompetente Dilma, “O POSTE”, com seu vice vampiro que ai esta, esses imbecis NÃO sabem votar e se deixar esse vagabundo solto já que no momento já é FICHA SUJA, ESTA NIELEGÍVEL, se a JUSTIÇÃ não tomar conta desta situação, esses imbecis são bem capazes de eleger novamente este desgraçado.

    Mantenha esse lixo na CADEIA senhores. As pessoas de bem agradecem.

  3. A FACE DO PT - LULA FASCISTA
    terça-feira, 21 de agosto de 2018 – 13:00 hs

    PT/CUT – A ascensão

    A criação do PT e da CUT teve duas etapas. A etapa de 1972 a 1983 foi copiada da do partido nazista alemão. De 1983 em diante prevaleceu o modelo do partido fascista italiano.

    1972.- Lula faz os cursos sindicais da CIA/Golbery, na John Hopkins University (JOGO DURO, de Mário Garnero).

    1974 – O plano de Golbeery e Geizel. Geizel declara a seus ministros: “Liquidar os restos da guerrilha rural do PC do B no Araguaia herdados do governo Médici; estimular o PCB a participar mais abertamente de atividades legais e exterminá-lo; organizar um grande partido trabalhista depois que a esquerda estivesse sem dirigentes e sem estrutura partidária.”(REVOLUÇÃO IMPOSSÍVEL, de Luiz Mir)

    1974 – Paulo Vidal presidente (interventor) do Sindicato dos Metalúrgicos de S. Bernardo e deputado estadual pela ARENA, cria a Diretoria da Previdência e coloca o desconhecido Lula para ser seu diretor (provavelmente cumprindo ordens de Golbery). Lula em sua biografia afirma que usou a diretoria para tomar cachaça conversar futebol e assediar as viúvas de operárias que vinha dar entrada em suas pensões (vide entrevista de Lula a play-Boy, sua biografia e no livro , O QUE EU SEI DE LULA, de José Nêumanes Filho)

    1975 – Paulo Vidal lidera uma eleição no sindicato como cabeça de chapa e depois da chapa eleita coloca o desconhecido Lula na presidência. Ele Vidal renuncia depois. Talvez satisfazendo mais uma manobra de Golbery. Paulo Egydio, interventor de S. Paulo, homem de confiança de Geizel e Golbery vai ao sindicato dar a posse a Lula. (ver PAULO EGYDIO CONTA do próprio e O QUE EU SEI DE LULA, de José Nêumanes Filho; comparar com as versões de Lula em sua biografia).

    1975 – Assassinato de Herzog. Paulo Markun vai ao DOI-CODI e houve do chefe do órgão; “Vocês estão por fora, quem dirige hoje os comunistas não é Luís Carlos Prestes; é um General, um Cardeal e um governador. Ele se referia a Geizel(Golbery), D. Evaristo Arns e Paulo Egydio; e os comunistas não eram os do PCB mais uma nova esquerda formada a partir de ex-guerrilheiros e líderes provenientes das comunidades eclesiais controladas pela CNBB. Sobre os planos esquerdistas de Geizel e Golbery ver também o livro IDEAIS TRAÍDOS de Silvio Frota.

    1978 – Geizel e Golbery autorizam ao governador (interventor) de S. Paulo Paulo Egydio a colocar Lula na TV do Estado no Programa Vox Populi para Lula garantir a liderança da greve contra os comunistas e trabalhistas. Há muita coisa mais a falar sobre essa greve que era interesse da própria Wolksvagen, mas fica para outra oportunidade.

    1981 – CONCLAT _O PT racha o movimento sindical, em minoria, enfraquecendo a unidade operária. Isso beneficiou a ditadura de Figueiredo para reprimir melhor as greves., e sobretudo o projeto de distensão do grupo Geizel/Golbery sem fazer muitas concessões aos trabalhadores e à centro-esquerda. Jacob Bittar rasgou criminosamente a ATA da votação para não ficar registrado que eles perderam a votação e racharam em minoria. E como eles fazem facistamente até hoje, inverteram os valores (Vide o mensaleiro João Cunha se fazendo de vítima e colocando o STF como réu), Colocaram Joaquinzão e seus aliados como réus que não queriam formar uma CUT revolucionária puro sangue livre dos pelêgos. Quem lucrou politicamente com a cisão foi a direita.

    1983 – Congresso de fundação da CUT – Financiado pela CIA (dinheiro )e pela Igreja (toda a infra-estrutura da Igreja de norte a sua do país foi usada) – Lula justificou os milhões de dólares da CIA como dinheiro dos companheiros dos EUA. Na realidade o dinheiro é enviado pela AFL-CIO, a mesma que financiou a greve dos caminhoneiros do Chile para derrubar Allende, mas o dinheiro vem de uma caixa preta onde os banqueiros depositam o dinheiro sob orientação da CIA. Com a criação da CUT fica concretizada a cisão da classe operária. Os líderes da CONCLAT ainda esperaram um tempo para demover os petistas e unirem numa única entidade e depois fizeram a CGT. Interessante é que no Congresso da CUT participaram as oposições sindicais, OS, sindicatos fantasmas, paralelos aos oficiais, em nome da liberdade sindical e um dos pretextos para romper com a CONCLAT; mas no 2º congresso da CUT, as OS foram proibidas. Exatamente como no fascismo, as OS foram usadas para aparentar um número maior de delegados que o real, mas depois foram descartadas como inconvenientes..

    1983 – No CECUT preparatório do congresso da CUT na Bahia, o PCdoB se retirou gritando: “gigolôs do imperialismo, agentes da CIA”(foi a primeira vez que ouví alguém gritar publicamente que o PT era agente da CIA). O PCdoB se aninharia na CGT de Joaquinzão. Mas em 1989 o PT com receio do PCdoB apoiar, ou Brizola ou Ulysses e fazer uma campanha violenta contra Lula, faz uma proposta tentadora ao PCdoB, fatias suculentas na direção de sindicatos da CUT e coligação na proporcional nas eleições, além dos fartos recursos para a campanha. Nessa época o PCdoB só tinha 5 deputados federais, o PT 22 e o PDT 36. Era uma proposta irrecusável (para quem não tem princípios). As bases do PT eram anti-comunistamente contra, mas como no fascismo foi imposto autoritariamente de cima para baixo. Assim para o PCdoB, lula de uma hora para a outra passou de agente da CIA para socialista.

    1983 – Ainda em 1983 a CUT mostrou que veio para dividir e enfraquecer o movimento operário brasileiro. O Ditador Figueiredo fez um decreto rasgando a CLT e permitindo a redução de salários. A CGT com Joaquinzão, convocaram os trabalhadores à uma greve geral contra o decreto. Lula então fez a declaração contra a greve (por coincidência a esquerda brasileira, não só o PT é contra a CLT e a favor da livre negociação). Mas Figueiredo recuou, revogou seu decreto e fez outro permitindo a redução de salário apenas para aqueles que entrassem depois do decreto. Houve ganho político para Joaquinzão, mas Lula não permitiria isso.

    Imediatamente convocou uma greve geral contra o novo decreto de Figueiredo que não atingia ninguém empregado. A CUT usou as assembléias dos petroleiros que estavam se mobilizando para o dissídio coletivo por salários. A CUT orientou então os seus sindicatos a se infiltrarem nas assembléias dos petroleiros radicalizarem elas e proporem nela a greve da CUT contra Figueiredo. Eu assisti uma dessas; tinha quase mil petroleiros, 20 apenas da Coelba, e menos de dez de cada um dos demais sindicatos. Justamente os líderes desses sindicatos desmobilizados é que fizeram os discursos inflamados e radicais e induziram os petroleiros, a esquecerem do seu dissídio coletivo e suas reivindicações e a aprovarem a greve de araque da CUT. Iniciada a greve só com os petroleiros, os sindicatos da CUT não falaram mais em greve e nem se quer deram satisfação a seus filiados sobre suas atitudes.

    Isolada a greve dos petroleiros foi massacrada pelo governo, os sindicatos ficaram sob intervenção e os líderes foram demitidos. Por coincidência, depois que acabou a intervenção e houve novas eleições, a articulação do PT, se apossou dos sindicatos sobre os cadáveres dos seus antigos líderes. A CUT reviveu David. David mandou Urias para a linha de frente de batalha e depois ordenou que os exércitos recuassem e deixassem ele só para morrer. Depois ficou com Betsabá sua mulher.

    Em cima dessa derrota, Figueiredo tripudiou; baixou novo decreto proibindo qualquer greve no país e a CUT se conformou e ficou apática com todos os seus sindicatos paralizados. Mas aí a FETAG de Pernambuco que era trabalhista e não revolucionária, fez a greve dos trabalhadores de cana e um Juiz independente seguidor da CLT, declarou a greve legal, ignorando o decreto de Figueiredo. Criou-se um confronto da justiça do trabalho contra a Ditadura. A turma do deixa disso foi o congresso que também tomou coragem e revogou os decretos de Figueiredo e Figueiredo aceitou a solução. Aí os CUTegos se sentiram aliviados e voltaram a arrotar valentia

    1989 – Lula em entrevista à ISTO É – Senhor, declarou que a Amazônia é um território falsamente brasileiro e que aprendeu com os italianos que o Brasil deveria negociar a Amazônia com o pagamento da dívida externa em patamares Mais favoráveis.

    1990 – A CUT cria a secretaria OBSERVATÓRIO AMBIENTAL DA AMAZÔNIA. Nela é defendido uma Amazônia internacional, na qual prevaleciam suas próprias leis e não as leis dos países secularmente proprietários dela. Então os leilões do pré sal a reprivatização da Embratel, a entrega de minerais estratégicos como o Nióbio, a ratificação das privatizações de FHC, o território Raposa do Sol, são todos coerentes com a ideologia entreguista do PT, desde sua fundação, está no seu DNA.

    LULA, UM HITLER CAFAJESTE.

    Lula evidentemente não se parece nem um pouco com Mussolini. Mussolini era um homem culto até para os padrões de seu tempo. Conhecia o marxismo e outras doutrinas socialistas e segundo ele, mudou após ler Nietsche. Foi o redator mais respeitado do jornal Avanti do partido socialista e quando foi dissidente fundou outro jornal. Socialista militante etc. Comparar ele com Lula é covardia. Como disse antes:

    “A criação do PT e da CUT teve duas etapas. A etapa de 1972 a 1983 foi copiada da do partido nazista alemão. De 1983 em diante prevaleceu o modelo do partido fascista italiano.” Mas Lula continuou o Hitler da primeira etapa agravado com as características negativas de Mussoluni.

    COMPARANDO:

    Hitler – Era um Megalomaníaco fruto de um complexo de Édipo imensurável. Seu ódio ao pai e seus fracasso em Viena levaram-no a odiar a sua pátria verdadeira, Áustria. Fugiu do serviço militar Austríaco para Alemanha, mas foi preso e extraditado para a Áustria onde conseguiu um atestado de tuberculose e foi perdoado voltando para a Alemanha, onde sem ter onde cair morto se alistou para a guerra.

    Lula – É um Megalomaníaco fruto de um complexo de Édipo super imensurável. Seu pai foi enterrado como indigente quando ele já era o famoso presidente do sindicato dos metalúrgicos de S. Bernardo e ele não tomou conhecimento. Seus irmãos e seus tios é que tomaram providências para dar a seu pai um túmulo mais digno que Lula jamais foi visitar apesar de ser muito católico. O seu complexo de Édipo se agravou por que ele foi a causa da separação de sua mãe e seu pai. A sua mãe era tão super protetora dele que quando ele ficou viúvo, a mãe abandonou a filha e foi morar com Lula e ficava acordada até 4 da manhã esperando Lula chegar das farras com a comidinha pronta e quente. Quando Lula se casou a primeira quem chorou foi a mãe dele e não a mãe da noiva. E na lua de mel Lula chorou em prantos com saudades da mãe. V. sua biografia autorizada)

    Esse seu ódio ao pai o levaria a ter ódio de tudo que o pai amava, sindicato, o Brasil. Fortaleceria esse ódio contra o Brasil, as suas frustrações na luta pela sobrevivência como mau operário e o complexo de nordestino diante dos descendentes de italianos com quem convivia. Tanto que em sua biografia ele diz:

    “…não sei se ele (o pai da mãe de Lula) era descendente de italianos. Eu conheci a mãe de minha mãe, minha avó, chamada Otília Ferreira de Melo. Otília é um nome italiano né? Eu tentei fazer um levantamento lá em Garanhuns, mas a precariedade de 1989 não me permitiu…”

    Esse complexo de inferioridade e desejo de ser italiano o levaria a se casar de novo com uma descendente de italiano e em 2003, já presidente, mandou a mulher e os filhos se naturalizarem italianos. Isso foi uma ofensa ao Brasil. Se isso acontecesse num país que o povo tivesse mais brio, ele sofreria um impeachment.

    Hitler – Tornou-se informante do serviço secreto alemão no fim da guerra. Em 1919 já tinha sido promovido a instrutor, quando foi enviado para observar as reuniões de um partido recém formado que também era armação do serviço secreto alemão. Lá fizeram uma provocação e Hitler revelou a sua oratória histérica como era esperado pelo dirigente do partido. Aprovado foi depois filiado ao partido e em um tempo curto se tornou seu presidente. Da maneira que as biografias oficiais narram fica parecendo que Hitler fez tudo isso por vontade própria, mas quando se estuda criticamente todo o desenrolar de sua vida, o mais provável é que ele recebeu a orientação dos serviços secretos para se filiar e ser o chefe desse partido, o Partido dos Trabalhadores Alemães , o futuro partido nazista. Mesmo porque ele sendo do serviço secreto não poderia se filiar a um partido que foi investigar sem o consentimento ou orientação do serviço secreto. Quando fracassou o Putsch e o partido nazista ficou em baixa(1925-1929), Hitler, apesar de ser o presidente do partido, era maltratado por Anton Dextler, verdadeiro organizador do partido, não deixando Hitler nem dirigir as reuniões por ser incompetente. Hitler portanto até 1933 era um pau mandado. A partir daí o mito tomou conta dos dois, da criatura e dos criadores.

    Lula – Era um alcagüete do DOPS – agora não há mais dúvida, depois do livro de Tuma Jr. Antes já se sabia desde a década de 80 que Lula era considerado pelo SNI como agente de Golbery no meio sindical. Em 2004, entrevistados pela repórter Soraya Aggege (O GLOBO de 28/03/2004- caderno especial sobre o golpe de 64), diversos companheiros de Lula confirmaram que Lula se encontrava secretamente com o regime e não apenas com Golbery, mas também com, Arnaldo Prieto (ministro do Trabalho de 1974 a 1979), Murillo Macedo (Trabalho, de 1979 a 1985), Delfim Netto, Dilermando Monteiro general do II Exército (responsável pela chacina da Lapa, em 1976), Milton Tavares, general da linha dura, que depois pediu a prisão de Lula em 1980 – que prova o testemunho de Tuma que a prisão de Lula foi um teatro para enganar a esquerda). Os companheiros de Lula que testemunharam esses encontros secretos de lula foram: Osmarzinho, Almir Pazzianotto, , Enilson Simões de Moura, o Alemãozinho. Todos eles não só afirmaram que sabiam como também concordavam porque beneficiava a distensão Benedito Marcílio, chegou a dizer que era Lula que indicava a Golbery os interventores para diversos sindicatos de S. Bernardo o que dava maior controle para eles. Frei Beto declarou à jornalista que sabia dos encontros de Lula com o regime mas ele era contra, o que não deixa de ser uma canalhice tão grande como a de Lula pois estava enganando a esquerda apresentando aos operários um alcagüete como sendo de esquerda.

    Na versão dos lulistas, Lula entraria no sindicato por insistência de seu irmão ou até para ganhar o salário sem trabalhar, pois ele detestava sindicato e política. Lula afirmava que só ia para sindicato quem tinha mãe na zona (esse era o conceito que ele tinha do irmão). Mas tudo indica, diante desses fatos e outros que Lula não entrou lá pela insistência do irmão, a quem ele não respeitava, mas sim por orientação de um esquema que incluía Golbery, o dono da Villares, seu patrão e o DOPS, com a mesma missão que Hitler teve quando entrou no PDA: espionar e se tornar no futuro um líder sindical de um movimento fascista. .

    Pelas bibliografias consultadas, incluindo sua biografia autorizada, Lula deve ter iniciado a ser delator a partir de 1969. E assim que ele entrou em 1972 foi enviado para fazer os cursos da CIA na John Hopkins University nos EUA. Esses cursos já eram feitos por sindicalistas brasileiros bem antes do golpe de 1964. Quem os enviava secretamente era o IPES de Golbery. O livro de Dreyfuss tem a relação com o nome completo de uns 200 operários que foram fazer esses cursos antes do Golpe de 1964. Boletins de sindicato dos bancários do Paraná, ligado ao PCdoB denunciaram que mais de 40.000 operários fizeram esses cursos no período da ditadura; 4.000 para mim já está de bom tamanho; bom se diga que a maioria dos operários encaravam esses cursos como turismo. Estudantes do AP e da JUC também fizeram esses cursos antes de 1964; estudantes do PCB eram vetados.

    O fato dele ter ingressado supostamente a contra gosta e logo ser enviado para curso de preparação de líderes nos EUA demonstra que ele já era do time antes.

    Hitler – Quando Hitler passou a fazer parte do serviço secreto do exército alemão ele fez os cursos de “pensamento nacional” onde aprendeu a ideologia do anti-semitismo do anticomunismo e contra o estado democrático. Deve ter sido um bom aluno, pois foi promovido a instrutor e escolhido para liderar um partido fascista em formação. Pelo fato de não ter uma ideologia definida antes, mas apenas ódios e megalomania além de um bom timbre de voz e estilo histérico, foi o escolhido.

    Lula – Depois que passou a ser um agente da ditadura, fez os cursos da CIA/Golbery onde aprendeu a ideologia do sindicalismo liberal americano, contra a CLT, contra a unicidade, pelo pluralismo, além do anticomunismo do chefão da AFL-CIO, George Meany. Não se sabe se foi bom aluno mas como orador inicialmente era um desastre. Mas desenvolveu um estilo cafajeste típico dos cantadores de cordel, de vai e volta, cheio de incoerências e indefinições ideológicas típica de um camaleão fascista. Esse discurso camaleônico e seu próprio caráter camaleônico levaram ele a ser escolhido para ser o líder de um movimento sindical fascista.

    Hitler – Na sua megalomania, Hitler se achava um grande artista, um grande pintor, talvez se ele tivesse tido persistência e ajuda se tornasse um pintor mediano, mas se tornou um pintor frustrado.

    Lula – Lula não teve direito a tais aspirações na sua megalomania indefinida. Passou por várias frustrações desde a infância em comum com seus irmãos numa luta conjunta pela sobrevivência em que às vezes os irmãos tinham um pouco mais de sorte. Diferente de Hitler que desde cedo procurou o seu caminho solo. Mas teve uma frustração inconsciente que nem o próprio Lula se apercebeu; ele tinha talvez talento para cantador de cordel; se um amigo ou parente tivesse percebido e dado a ele uma viola talvez fosse um repentista de cordel mediano.

    RESUMINDO – Hitler era um Pintor Frustrado e Lula é um Repentista De Cordel Frustrado.

    E POR FIM – As diferenças entre Hitler e Lula surgem em função dos objetivos do grande capital financeiro na Europa naquela época serem diversos dos seus objetivos no Brasil de hoje. Naquela época o grande capital financeiro tinha como objetivo lógico final uma santa cruzada contra o comunismo, inclusive no seu santuário, a URSS; daí forjar líderes heróico-trágicos e nacionalismos exacerbados imperialistas, para cumprir esses objetivos. Já para o Brasil de hoje, a lógica do grande capital financeiro reserva uma política de destruição do estado nacional, sucateamento da nossa indústria, internacionalização da AMAZÔNIA, destruição do mercado interno e de nossa força de trabalho, etc. O que exige lideranças fascistas de outro tipo, demagógico, eclético, oportunista, apátrida, capaz de camuflar seu antipatriotismo com doutrinas da moda fabricadas nos países colonialistas para consumo das elites travestidas de esquerda, alienadas, do terceiro mundo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*