Materiais apócrifos, notícias falsas: a mão da velha política | Fábio Campana

Materiais apócrifos, notícias falsas: a mão da velha política

Edson Campagnolo encaminhou nota a dizer que voltará para presidência da Fiep, de onde estava licenciado para se dedicar à política porque, segundo ele, queria emprestar sua “experiência e histórico, com plenas condições de contribuir para um novo modelo de administração pública”.
Campagnolo disse ainda que “na curta caminhada desde que apresentei meu nome, pude sentir a mão pesada da velha política. Materiais apócrifos e notícias falsas, com o vazamento de documentos internos de uma disputa comercial, circularam no meio político numa clara tentativa de desqualificar aqueles que querem mudar a forma como a gestão pública é conduzida”.
Leia a nota na íntegra:

Ao longo da minha vida, sempre me envolvi nas discussões e ações em busca do bem coletivo. Como cidadão, participei de vários movimentos para melhorar as comunidades onde vivi, cobrando das autoridades providências para melhorar a infraestrutura e os serviços prestados à população.

Esse mesmo sentimento também tive em minha vida de empreendedor, o que me levou a participar de associações empresariais. O objetivo desse trabalho nunca foi beneficiar minhas empresas, mas sempre lutar por melhores condições para todo o setor produtivo. Foi justamente essa disposição que me levou à presidência da Federação das Indústrias do Paraná.

Na Fiep, também pautei minha atuação na defesa de um melhor ambiente para a realização de negócios, o que se reflete em benefícios para toda a população, com a geração de empregos, renda e até mais recursos para a administração pública. Para mim, esse é o único caminho para que tenhamos uma sociedade mais justa, com oportunidades para todos.

Como se sabe, a grande maioria das ações necessárias para que isso aconteça depende de políticas públicas. Cumprindo o papel que cabe a lideranças à frente de entidades fortes como a Fiep, sempre cobrei de parlamentares e governantes a adoção de medidas que levem a um maior desenvolvimento do Paraná e do Brasil.

Infelizmente, na maioria das vezes essas demandas são ignoradas por gestores públicos mais afeitos a seus próprios interesses políticos ou pessoais do que aos anseios da população. A indignação com essa situação, com a maneira como nosso estado e nosso país vêm sendo conduzidos, me motivou a colocar meu nome à disposição para a disputa eleitoral deste ano. Fiz isso porque estou seguro que, com minha experiência e meu histórico, tinha plenas condições de contribuir para um novo modelo de administração pública, que busque maior eficiência do Estado e o coloque, efetivamente, a serviço da sociedade.

Na curta caminhada desde que apresentei meu nome, pude sentir a mão pesada da velha política. Materiais apócrifos e notícias falsas, com o vazamento de documentos internos de uma disputa comercial, circularam no meio político numa clara tentativa de desqualificar aqueles que querem mudar a forma como a gestão pública é conduzida.

Analisando o cenário eleitoral, decidi não mais me candidatar a nenhum cargo em disputa neste ano. Isso, no entanto, não significa que deixarei de lutar por um novo modelo de gestão pública. Como presidente da Fiep, função que reassumirei, e como cidadão que sabe que a mudança na política depende da participação ativa de toda a sociedade, seguirei cobrando nossos representantes e me colocando à disposição para auxiliar no que estiver ao meu alcance. Mantenho firme meu propósito, convicto de que posso contribuir para que o Paraná e o Brasil sejam cada vez mais prósperos e desenvolvidos, como merece a sua gente.

(Foto: Divulgação/Fiep


8 comentários

  1. Marcos
    sexta-feira, 24 de agosto de 2018 – 18:10 hs

    E o esperto volta com o rabinho entre as pernas pra Fiep?
    Não vai largar o osso?
    Isso que eu chamo de me engana que eu gosto.
    Foi um vexame sua curta duração na política . Uma farsa.
    Ruim pra Fiep!!!!

  2. Paulo Porsch
    sexta-feira, 24 de agosto de 2018 – 19:46 hs

    E talvez mereça isso que lhe foi feito.
    Pior que o sujo é o falso limpo.

  3. sexta-feira, 24 de agosto de 2018 – 19:52 hs

    Uma Excelente pessoa, grande liderança e que acolhe as demandas de todo setor produtivo e terá sempre nosso apoio do turismo e serviços, em especial da gastronomia e entretenimento. Perde a vida pública e a política não tê-lo em seus quadros à disposição da sociedade das comunidades.

  4. sexta-feira, 24 de agosto de 2018 – 21:33 hs

    A velha política já encarnou no Sr. Edson Campanholo; pois com tantos colaboradores talentosos e dedicados que a Fiep tem; ele colocou seu cunhado em um cargo de gestão de compras e financeiro; quebrando assim regras importantes de Compliance. Menos mal; a política do Paraná escapou de ser tornar pior, pelo menos no quesito nepotismo.

  5. Antônio F. Hoiksh
    sexta-feira, 24 de agosto de 2018 – 23:15 hs

    Conversa furada, pulou de um galho para outro, no final ninguém quis.
    Já foi bom p/ FIEP, mas faz tempo que defende apenas interesses pessoais utilizando a estrutura da instituição.
    No final das contas é o mesmo do mesmo, faz parte do time das velhas raposas que precisam sair de cena, a sociedade não aguenta mais sangue sugas.
    Esse cara é uma farsa.

  6. sábado, 25 de agosto de 2018 – 8:35 hs

    NOSSO (Í) É DE MUTRETAS,KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!

  7. Franklin
    sábado, 25 de agosto de 2018 – 18:12 hs

    Concordo totalmente com os comentários aqui postados por antonio, beto, buck, paulo e marcos. Esse cara é uma farsa, não teria qualificação para contribuir na administração pública, luta por seus interesses pessoais e ainda criou um baita salário para ele mesmo na FIEP.

  8. Francisco Lipner
    sábado, 25 de agosto de 2018 – 18:33 hs

    Pelo jeito esse empresário (qual a empresa dele?) de moderno é só o marketing pessoal que ele faz. Que feio. Veio do interior para enganara a gente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*