Lula fora do páreo | Fábio Campana

Lula fora do páreo

Da ISTO É

Nos últimos dias, a Justiça Eleitoral e o Ministério Público Eleitoral associaram-se numa estratégia para tentar evitar o que consideram um grande risco para o País: a desmoralização do processo democrático brasileiro, com a imposição de candidaturas que, por infringir frontalmente a lei, não poderão chegar às urnas em outubro. O conceito se aplica a todos os candidatos, mas carrega em seu bojo um objetivo principal: evitar a candidatura ilegal do ex-presidente Lula, preso na sede da Polícia Federal em Curitiba.

O potencial de estrago de Lula é considerado maior por suas características bem peculiares. Mesmo preso, inapelavelmente condenado em duas instâncias por crime de corrupção, o petista aspira à Presidência da República. Convencido de sua influência sobre o PT, da sala-cela de 15 metros quadrados, Lula segue como uma espécie de morubixaba da legenda, a orientar advogados e militantes a promover, sem qualquer pudor, chicanas das mais variadas a fim de prolongar ao máximo a aura de candidato que orbita em torno dele. A narrativa de vítima interessa politicamente a Lula e ao candidato a ser escolhido por ele. O ungido é quem irá personificá-la nas urnas.

É esse jogo tão óbvio quanto indecente, por flagrantemente ilegal, que o TSE quer barrar no nascedouro. Conforme apurou ISTOÉ com ao menos três integrantes da corte eleitoral, o Tribunal, com o apoio do Ministério Público Eleitoral, está convencido de que Lula não pode ser candidato. E julgará nessa direção, impugnando a candidatura, sem dar margem para contorcionismos na lei. O que tanto o TSE como o MP Eleitoral estão determinados a fazer, agora, é antecipar ao máximo essa decisão. A ideia de membros do Tribunal Eleitoral é que, até o fim de agosto, Lula esteja oficialmente impedido de concorrer ao Planalto, de modo que ele não chegue sequer a aparecer na tela da propaganda eleitoral, marcada para começar no dia 31. “Um candidato que não pode ser eleito não pode concorrer”, afirmou o presidente do TSE, ministro Luiz Fux. “A inelegibilidade de Lula é chapada”, acrescentou na quarta-feira 1. A expressão “chapada” é usada no meio jurídico para definir “sem reversão”, “consolidada”.


5 comentários

  1. SERGIO SILVESTRE
    domingo, 5 de agosto de 2018 – 14:48 hs

    Revista sem vergonha,o judiciario está se unindo para completar o golpe,ai nada tem de preservar instituições que no Brasil viraram merda,

  2. Paulo André A. Resende
    domingo, 5 de agosto de 2018 – 17:38 hs

    Essa teimosia do Lula (se manter candidato) tem uma vantagem. O provável “apequenamento” do PT

  3. domingo, 5 de agosto de 2018 – 19:54 hs

    Nuna vi tamanha semelhança,olhando este foto do LULLA,notei que a orelha dele e a mesma do rato,podem conferir!!!

  4. Romao Miranda Vidal
    domingo, 5 de agosto de 2018 – 20:16 hs

    A inércia do Judiciário é tão gritante que nos irrita.
    Julgado. Condenado. Definida qual a Comarca na qual deve cumprir a condenação, não tem mais o que se discutir. Complexo Penal de Piraquara, ou Catanduvas é o mais indicado para quem literalmente roubou descaradamente o Brasil e deixou que seus apaniguados também p fizessem. Colocando esse marginal em uma dessas Unidades acaba de vez com essa lenga-lenga de visita de artistas e políticos. Não se deve e nem se pode oferecer regalias a esse tipo de ladrão e homicida. Homicida declarado, por não administrar honestamente os recursos públicos, direcionando-os aos países alinhados com o Foro de São Paulo e países africanos. Dinheiro esse que deveria ser aplicado nas UTI’s Pediátricas, nos Hospitais Universitários, na construção de mais hospitais gerais, escolas, universidades, portos, estradas, centros de pesquisas. Quantas pessoas morreram por falta de assistência médica e de suporte, em função da falta de recursos, que deveriam ser aplicados no Brasil e forma aplicados em outros países. Só no Porto de Mariel, em Cuba foram aplicados US$ 682.000.000,00. Quantas vidas poderiam ser salvas se esse dinheiro fosse aplicado no Sistema Nacional de Saúde, com a construção, ampliação e manutenção de hospitais. Esse elemento é o que se pode considerar de um LESA PÁTRIA na acepção da palavra.

  5. SERGIO SILVESTRE
    segunda-feira, 6 de agosto de 2018 – 7:04 hs

    Já vi esse Nome de Romão Vidal,é um orbitante de governos ai do “penico” que é Curitiba,cheio de escroques como ele,falar mal do Lula primeiro tem que lavar a boca e cumprir as penas que deveriam lhe ser impostas,ladrão falando de presidente serio,vai te catar cara,olhe seu rabo.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*