MP reabre investigação sobre morte de Herzog | Fábio Campana

MP reabre investigação sobre morte de Herzog

A Corte Interamericana de Direitos Humanos condenou o Brasil, no início de julho, por não investigar e punir os responsáveis pela morte do jornalista Vladimir Herzog durante a ditadura militar, em 1975.
O Ministério Público havia arquivado o caso em 2009, com base na Lei da Anistia de 1979, que demandou perdão geral para envolvidos em crimes relacionados ao regime militar. Mas agora, avalia que o país é obrigado a cumprir a determinação da Corte Interamericana e que “crimes cometidos por agentes do Estado fizeram parte de um ataque sistemático contra a população. São crimes de lesa-humanidade. Isso foi confirmado pela sentença da corte. Por isso, esses crimes não são suscetíveis à prescrição e à anistia”, afirmou Sérgio Suiama, procurador da República.
Herzog apareceu morto em sua cela em outubro de 1975, com a versão oficial de que teria cometido suicídio, enforcando-se com o cinto de sua roupa de presidiário.
No entanto, o jornalista, militante do Partido Comunista Brasileiro, foi morto após sessões ininterruptas de tortura durante o interrogatório em dependência do 2º Exército (DOI-Codi).


4 comentários

  1. Fiora Neto
    terça-feira, 31 de julho de 2018 – 14:50 hs

    Uma pergunta… os assassinatos cometidos pelos terrosas da época, e hoje políticos de destaque no BR, também serão casos revistos?
    Anistia geral foi geral… se bem me lembro…

  2. terça-feira, 31 de julho de 2018 – 14:58 hs

    P A L H A Ç A D A

  3. terça-feira, 31 de julho de 2018 – 19:07 hs

    E quando vão Investigar a morte do Soldado do Exército MARIO KOZEL morto pelo grupo da terrorista Dilma Vanda ?

  4. terça-feira, 31 de julho de 2018 – 20:10 hs

    Vladimir Putin, Vladimir Ilich Lenin, Vladimir Safatle, Vladimir Herzog.
    O que eles tem de comum, além do nome?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*