Delator foi a casa de Richa dias antes de ser preso, diz Fernanda | Fábio Campana

Delator foi a casa de Richa dias antes de ser preso, diz Fernanda

Do Guilherme Voitch, Veja,
A mulher do ex-governador Beto Richa (PSDB) e secretária da Família e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, declarou em depoimento prestado aos promotores da Operação Quadro Negro que o engenheiro Maurício Fanini, ex-diretor da Secretaria de Educação, esteve no apartamento do casal em 14 de julho de 2015, uma semana antes de ser preso pela primeira vez.
“Ele insistiu muito e foi lá em casa nos visitar. Só estava eu em casa com meu filho menor, André Rodrigo, e ele ficou ‘preciso conversar com o Beto, preciso falar com ele, eu tenho que colocar para ele o que está acontecendo… Eu preciso me explicar, preciso me desculpar com o Beto’”, afirmou Fernanda em depoimento prestado em abril e obtido por VEJA. A ex-primeira dama afirma que não presenciou a conversa entre o governador e o delator, mas atesta que, assim que chegou em casa, Beto recebeu Fanini e conversou reservadamente com ele.

A operação investiga fraudes em licitações da Secretaria de Educação (SEED) para a construção de escolas. Em sua proposta de delação obtida por VEJA, Fanini, amigo de Richa desde a faculdade e apontado pela investigação como responsável por intermediar o acerto entre empreiteiras, agentes públicos e políticos, afirma que procurou o governador na ocasião para relatar as dificuldades “profissionais, emocionais e familiares” que estava vivendo desde sua exoneração na SEED. Na época do encontro, a participação de Fanini na Quadro Negro já era amplamente divulgada na imprensa.

Segundo Fanini, no encontro, Beto teria pedido “paciência” e afirmado que as “coisas iriam se resolver”. Naquela altura, Fanini diz que recebia uma espécie de mesada de empresários a mando do governador. Richa nega.

Em seu depoimento, Fernanda também confirma que ela e o tucano estiveram com Fanini e a esposa em São Paulo, quando da gravação do programa Roda Viva na capital paulista. Na oportunidade, segundo conta Fanini em sua delação, Luiz Abi Antoun, primo do governador, teria pedido dinheiro ao então diretor da Secretaria. Segundo ele, “Fernanda Richa escutou a conversa mas não participou da mesma”. No depoimento, a secretária da Família também confirma que Abi estava em São Paulo na oportunidade, mas nega ter participado de qualquer tratativa sobre dinheiro. Fernanda também diz serem mentiras as afirmações de Fanini de que ela teria pedido mil dólares para bancar uma viagem do filho. A ex-primeira dama confirma, porém, que ela e Beto eram próximos do casal Maurício Fanini e Betina; que ambos viajaram juntos e que ela e Betina trocaram mensagens de WhatsApp no dia da prisão do engenheiro.


4 comentários

  1. Marcos
    sexta-feira, 13 de julho de 2018 – 13:11 hs

    Quáquáquá.
    Acho que a Fernanda acha que somos todos otarios.
    Se explicar pro Beto, se desculpar????
    Foi lá dizer que se o Beto não fizesse alguma coisa, iria pra degola junto.
    Foi ameaçar e deu no que deu. Delação.
    É o mais engraçado é o Rato grego dizer que pagou ajuda humanitária ao Fanini em parcelas. Alguém já viu isso????

  2. Aprigio Fonseca
    sexta-feira, 13 de julho de 2018 – 18:47 hs

    ‘FRIENDS”

  3. Arnaldo Lisboa dos Santos
    sexta-feira, 13 de julho de 2018 – 20:37 hs

    O que não consigo entender é que o dinheiro para às obras vem do governo do Estado. Toda obra, quando acabada, o governador dá as caras para inaugura-la, fazer o seu social e naturalmente arrebanhar votos. Nesse caso específico, os aditivos contratuais foram acontecendo sem que acontecessem as indispensáveis fiscalizações que, diga-sr de passagem, também de responsabilidade da equipe do governo. No entanto, quando a obra não avança,, quando o dinheiro público é gasto o responsável pelas
    autorizações não aparece, ficam só os laranjas. É o velho ditado. “A corda sempre estoura do lado mais fraco”.

  4. eleitor dos Campos Gerais
    sábado, 14 de julho de 2018 – 14:03 hs

    Uma imagem que vale por mil palavras. Na foto do post está Beto Richa e sua esposa Fernanda e logo atrás está Maurício Fanini e sua esposa Betina. A foto é da famosa viagem da vitória feita em novembro de 2014 para os Estados Unidos e para o Caribe após Richa ter sido eleito para o segundo mandato. Segundo as investigações a viagem foi paga com dinheiro desviado das escolas que não foram construídas conforme apurado na Operação Quadro Negro.
    Fanini era diretor de obras na Secretaria de Educação e um dos responsáveis pelo repasse dos milhões desviados.
    Fato lamentável para o filho de um respeitado ex-governador e que há alguns anos atrás era tido como um jovem político promissor com potencial para chegar a Presidência da República.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*