Quadro Negro: MP inclui Rossoni em ação civil sobre escolas de Bituruna | Fábio Campana

Quadro Negro: MP inclui Rossoni em ação civil sobre escolas de Bituruna

Catarina Scortecci, Gazeta do Povo,

O deputado federal Valdir Rossoni (PSDB-PR) e seu ex-funcionário Gerson Nunes da Silva foram incluídos na lista de implicados em uma ação civil pública relacionada à Operação Quadro Negro, e que tramita na 1ª Vara da Fazenda Pública de União da Vitória. O processo foi aberto no início de 2017, mas, na época, os dois não figuravam entre os réus. A inclusão dos novos nomes foi solicitada no mês passado pelo Ministério Público do Estado do Paraná (MP-PR) e ainda será analisada pelo juiz do caso, Luís Mauro Lindenmeyer Eche. 
O pedido tem ligação com o depoimento de um dos delatores da Quadro Negro, o empresário Eduardo Lopes de Souza, dono da Valor Construtora. Na delação do empresário, homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no final do ano passado, ele afirma que venceu as licitações na prefeitura de Bituruna com ajuda de Gerson Nunes da Silva. E que, a cada transferência de dinheiro destinado às obras, 10% era desviado para o então deputado estadual Valdir Rossoni, a título de propina. O conteúdo da delação foi repetido em depoimento pelo empresário, no âmbito do processo de Bituruna.

“Quando estava perto da primeira licitação, o assessor Gerson me chamou na sala dele na presidência da Assembleia [Legislativa do Estado do Paraná], e me disse que eu venceria a licitação, mas que de tudo que eu ganhasse lá em Bituruna eu teria que repassar 10% para o deputado Rossoni, e que o acerto deveria ser sempre com ele [o assessor Gerson]. Eu questionei sobre o valor da propina e então ele foi até o gabinete do deputado, que ficava ali ao lado, e após poucos minutos voltou dizendo que o deputado tinha dito que era aquilo mesmo, que estava até barato e que a licitação seria com preço cheio [máximo previsto no edital]. Eu concordei e acabei sendo o único participante da licitação”, falou Eduardo Lopes de Souza, em trecho da sua delação.

O delator se refere a sete licitações, organizadas pela prefeitura de Bituruna entre os anos de 2011 e 2012. Entre as licitações, quatro envolviam construção ou reforma de escolas. O dinheiro era do governo do Paraná, repassado ao município por meio de convênios. Ao contrário das obras realizadas pela Valor Construtora em outras cidades do Paraná, os serviços em Bituruna teriam sido concluídos.

A cidade é reduto eleitoral de Rossoni. Entre os réus que já figuram no processo está o filho do parlamentar, Rodrigo Rossoni, ex-prefeito de Bituruna.


Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*